Nascer de Novo

19 out

 Nascer de Novo

 

WW escreve sobre nascer de novo :

 

“Nascer de novo”

 “Para o Espiritismo, a existência é um infinito (ou quase) suceder de existências, ou reencarnações. Eu estou aqui, mas já vivi antes de nascer, em outro corpo. Depois que esse corpo atual cessar suas funções vitais, eu, como espírito, passarei algum tempo “sem corpo” (isto é, na “erraticidade”) e, em algum momento futuro, nascerei novamente. E assim por diante. Somos “espíritos”, em nossa natureza e, para “evoluirmos”, temos que “encarnar”.”

 

Definição correta.

 

E, WW continua escrevendo……….

 

“Portanto, lendo O TEXTO, sem ideias pré concebidas, isto é, sem SUPOR previamente a existência de reencarnação, tudo o que temos é pode-se ou não nascer de novo, mas não diz o que SIGNIFICA “nascer de novo”. Não fala absolutamente nada sobre o “método” de nascer de novo, e, MUITO MENOS, implica em obrigatoriedade de reencarnação.”

 “Nesse ponto, um Espírita sempre pergunta: “Se o nascer de novo não é reencarnação, o que é, então?” Um evangélico soltaria, de pronto, a resposta de que “nascer de novo” se refere ao batismo nas águas, mas TAMBÉM não há inferência disso no texto.

E eu não tenho uma resposta taxativa. Se me perguntarem “O que Jesus quis dizer com ‘nascer de novo’?”, minha resposta será um “não sei”, mas o fato de eu NÃO SABER não implica que a interpretação Espírita esteja correta. Podemos VER que não está correta.”

 

 

Bem, como WW não sabe a resposta, mas, mesmo assim, deu a sua opinião, como se soubesse a resposta, irei apresentar alguns textos sobre o assunto:

 

Vejamos primeiro o que nos diz O Evangelho segundo o EspiritismoCap. IVNinguém poderá ver o reino de Deus se não nascer de novo.

 

 

5. Ora, entre os fariseus, havia um homem chamado Nicodemos, senador dos judeus – que veio à noite ter com Jesus e lhe disse: “Mestre, sabemos que vieste da parte de Deus para nos instruir como um doutor, porquanto ninguém poderia fazer os milagres que fazes, se Deus não estivesse com ele.”

Jesus lhe respondeu: “Em verdade, em verdade, digo-te: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.”

 

Disse-lhe Nicodemos: “Como pode nascer um homem já velho? Pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, para nascer segunda vez?”

 

Retorquiu-lhe Jesus: “Em verdade, em verdade, digo-te: Se um homem não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. – O que é nascido da carne  é carne e o que é nascido do Espírito é Espírito.

 

Não te admires de que eu te haja dito ser preciso que nasças de novo. O Espírito sopra onde quer e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem ele, nem para onde vai; o mesmo se dá com todo homem que é nascido do Espírito.”

 

Respondeu-lhe Nicodemos: “Como pode isso fazer-se?” – Jesus lhe observou: “Pois quê! és mestre em Israel e ignoras estas coisas? Digo-te em verdade, em verdade, que não dizemos senão o que sabemos e que não damos testemunho, senão do que temos visto.

Entretanto, não aceitas o nosso testemunho. – Mas, se não me credes, quando vos falo das coisas da Terra, como me crereis, quando vos fale das coisas do céu?” (JOÃO, cap. III, vv. 1 a 12.)

 

 

6. A idéia de que João Batista era Elias e de que os profetas podiam reviver na Terra se nos depara em muitas passagens dos Evangelhos, notadamente nas acima reproduzidas (nº 1, nº 2, nº 3). Se fosse errônea essa crença, Jesus não houvera deixado de a combater, como combateu tantas outras.

Longe disso, ele a sanciona com toda a sua autoridade e a põe por princípio e como condição necessária, quando diz:

“Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo.”

E insiste, acrescentando: Não te admires de que eu te haja dito ser preciso nasças de novo.

 

 

7. Estas palavras: Se um homem não nasce do água e do Espírito foram interpretadas no sentido da regeneração pela água do batismo.

O texto primitivo, porém, rezava simplesmente: não nasce da água e do Espírito, ao passo que nalgumas traduções as palavras – do Espírito – foram substituídas pelas seguintes: do Santo Espírito, o que já não corresponde ao mesmo pensamento.

Esse ponto capital ressalta dos primeiros comentários a que os Evangelhos deram lugar, como se comprovará um dia, sem equívoco possível. (1)

 

(1) A tradução de Osterwald está conforme o texto primitivo. Diz: “Não nasce da água e do Espírito”; a de Sacy diz: do Santo Espírito; a de Lamennais: do Espírito Santo.

 

À nota de Allan Kardec, podemos hoje acrescentar que as modernas traduções já restituíram o texto primitivo, pois que só imprimem “Espírito” e não Espírito Santo. Examinamos a tradução brasileira, a inglesa, a em esperanto, a de Ferreira de Almeida, e todas elas está somente “Espírito”.

 

Além dessas modernas, encontramos a confirmação numa latina de Theodoro de Beza, de 1642, que diz:

“…genitus ex aqua et Spiritu…” “…et quod genitum est ex Spiritu, spiritus est.”

 

É fora de dúvida que a palavra “Santo” foi interpolada, como diz Kardec. – A Editora da FEB, 1947.

 

8. Para se apanhar o verdadeiro sentido dessas palavras, cumpre também se atente na significação do termo água que ali não fora empregado na acepção que lhe é própria.

 

Muito imperfeitos eram os conhecimentos dos antigos sobre as ciências físicas. Eles acreditavam que a Terra saíra das águas e, por isso, consideravam a água como elemento gerador absoluto.

Assim é que na Gênese se lê:

“O Espírito de Deus era levado sobre as águas; flutuava sobre as águas;

– Que o firmamento seja feito no meio das águas;

– Que as águas que estão debaixo do céu se reúnam em um só lugar e que apareça o elemento árido;

-Que as águas produzam animais vivos que nadem na água e pássaros que voem sobre a terra e sob o firmamento.”

 

Segundo essa crença, a água se tornara o símbolo da natureza material, como o Espírito era o da natureza inteligente. Estas palavras: “Se o homem não nasce da água e do Espírito, ou em água e em Espírito”, significam pois: “Se o homem não renasce com seu corpo e sua alma.” E nesse sentido que a principio as compreenderam.

 

Tal interpretação se justifica, aliás, por estas outras palavras: O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do Espírito é Espírito.

Jesus estabelece aí uma distinção positiva entre o Espírito e o corpo. O que é nascido da carne é carne indica claramente que o corpo procede do corpo e que o Espírito independe deste.

 

9. O Espírito sopra onde quer; ouves-lhe a voz, mas não sabes nem donde ele vem, nem para onde vai: pode-se entender que se trata do Espírito de Deus, que dá vida a quem ele quer, ou da alma do homem.

Nesta última acepção – “não sabes donde ele vem, nem para onde vai – significa que ninguém sabe o que foi, nem o que será o Espírito.

Se o Espírito, ou alma, fosse criado ao mesmo tempo que o corpo, saber-se-ia donde ele veio, pois que se lhe conheceria o começo.

Como quer que seja, essa passagem consagra o princípio da preexistência da alma e, por conseguinte, o da pluralidade das existências.

 

 

E, acrescentamos um estudo do Dr. Severino Celestino da Silva:

 

João 3 : 1 – 12

 

1 – Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.

2 – Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.

 

3 – A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.

 

4 – Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez?

 

5 – Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.

 

6 – O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.

 

7 – Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo.

 

8 – O vento (espírito) sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito.

9 – Então, lhe perguntou Nicodemos: Como pode suceder isto? Acudiu Jesus:

10 – Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas?

11 – Em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que temos visto;contudo, não aceitais o nosso testemunho.

12 – Se, tratando de coisas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das celestiais?

 

 

No livro “Analisando as Traduções Bíblicas”, o autor Severino Celestino da Silva, no capítulo XVII – A Reencarnação no Novo Testamento, ao se referir à passagem de João 3 : 1 – 12 (pág. 238 – 242), escreve o seguinte:

 

Este é o texto que tem dado mais trabalho aos exegetas que querem negar a Reencarnação. No entanto, é o mais claro e contundente de todos, por isso, existe um verdadeiro malabarismo por parte destes, no sentido de obscurecer o verdadeiro e claro sentido desta passagem.

 

Iniciamos pelo vocábulo ’anóten’ que em grego pode significar ’de novo’ e ’do alto’”. 

 

Nesta passagem, esse vocábulo significa realmente ‘de novo’, porém a maioria dos exegetas emprega o termo ‘do alto’ para justificar a sua descrença na Reencarnação. Este malabarismo envolve também a questão gramatical na tradução do texto, como veremos mais adiante.

 

Colocaremos, aqui, muitas observações e conceitos empregados, sobre este texto, feitos por Torres Pastorino na sua obra ‘Sabedoria do Evangelho’, com relação ao texto grego.

Concordamos plenamente com todos os seus conceitos, razão por que o usaremos para reforçar nossa exegese. A análise do texto hebraico é de autoria e responsabilidade nossa”.

 

Muitos começam com a afirmação de que Jesus teria dito: ‘AQUELE QUE NÃO NASCER ‘DO ALTO’. Observe, no entanto, que a pergunta feita por Nicodemos, em seguida, denota que ele entendeu que Jesus falava realmente em nascer ‘de novo e não ‘do alto’:

 

Como ‘pode o homem, depois de velho, entrar pela segunda vez (deuteron) no ventre materno?”


Esta ambigüidade de entendimento só acontece na língua grega, porque no hebraico, que foi realmente a língua em que Jesus dialogou com Nicodemos, este problema não existe
. O texto é bem claro e jamais pode significar ‘do alto’.

 

Diz o seguinte: (‘im lô iualed ish mimkôr ‘al lô-iukal lirôt et-malkut haelohim’) im=se, =não, iualed=incompleto do grau qal do verbo ‘nolad’=nascer, ish=um homem, mimekôr=palavra composta, formada por mi=de + makôr=fonte de água viva, origem.

Existe a expressão hebraica ‘Mekôr chaim’ que quer dizer ‘fonte da vida’.

 

Observe que não existe nada referente ‘ao alto’, no texto grego, como muitos querem se fazer entender.

 

Assim, o Cristo fala que aquele que não nascer em origem, no sentido de se voltar à fonte original da vida, ou seja, nascer novamente,não poderá’ (lô-iuchal=incompleto do verbo iachôl=poder) ver o reino de Deus (lirôt et-malkut haelohim)”.

 

Assim, no diálogo, a palavra gregaanóten’ tem o sentido e significado de ‘de novo’, portanto, Jesus falava de retorno, ou seja, de Reencarnação mesmo, como foi visto no texto hebraico.

 

Lembramos, ainda, que Nicodemos já era um cidadão de idade avançada e o Cristo lhe fala da Reencarnação (Nascer de Novo), como uma esperança e reconforto para ele, mostrando-lhe que a vida não termina com a morte, nem os velhos devem temer a morte, pois podem renascer e começar tudo novamente.

 

Na seqüência, Cristo confirma que era isso mesmo que Ele queria dizer:

 

Quem não nascer de água (materialmente, com o corpo denso, dado que o nascimento físico é feito através da bolsa d’água do líquido aminiótico), veja o cap. VII deste livro, Salmo 23 e de espírito (pneumatos), ou seja, que adquira nova personalidade no mundo terreno, em cada nova existência, a fim de progredir).

 

Se Nicodemos entendeu ao pé da letra as palavras de Jesus, o Mestre as confirma ao pé da letra e reforça o seu ensino. Com efeito, o espírito, ao reentrar na vida física, pode ser considerado o mesmo espírito que reinicia suas experiências, esquecido de todo passado.



A questão gramatical:

No texto em grego não há artigo diante das palavras água’ (ek ydatos= de água) ‘e espírito’ (kai pneumatos), portanto, o texto fala em nascer ‘de água e de espírito’.

Não é portanto, nascer da água do batismo, nem do espírito, mas de água (por meio da água) e de espírito (pela Reencarnação do espírito).

 

O primeiro versículo do Gênesis (1 : 1) fala que no princípio criou Deus os Céus e a terra. A palavra ‘céus’ em hebraico ‘Shamaim’ [08064 ] – significa: ‘Carrega água’, ‘Ali existe água’; ‘fogo e água’ que misturados um ao outro, formaram o Céus.

 

Como podemos observar, tudo começou com as águas. Água é vida e essa era a crença geral naquela época. É lógico que o Cristo não falava de batismo e sim de retorno através da água. Lembramos ainda que 99% da constituição das células reprodutoras são água.

 

“Daí a explicação que segue: ‘o que nasce da carne (ek tês sarkos) com artigo (tês) em grego, é carne’, isto é com corpo físico, com toda a hereditariedade física herdada do corpo dos pais;

 

‘e o que nasce do espírito (ek tou pneumatos) é espírito’, ou seja, o espírito que reencarna provém do espírito da última encarnação com toda a hereditariedade pessoal (cármica) que traz do passado”.

 

E Jesus prossegue: ‘Por isso não te admires de eu te dizer: é-vos necessário nascer de novo’.

 

Observe a diferença de tratamento: ‘dizer-TE’ no singular, e é-VOS’ no plural, porque o renascimento é para todos, não apenas para Nicodemos.

 

 

E mais: ‘o espírito sopra (isto é, age, reencarna, se manifesta onde quer), e não sabes de onde veio (ou seja, sua última encarnação), nem para onde vai (qual será a próxima)”.

 

 

As palavras de Jesus foram de modo a embaraçar Nicodemos, que indaga: “como pode ser isso’? E Jesus: ‘Tu que (entre nós dois) é Mestre de Israel, te perturbas com estas coisas terrenas? Que te não acontecerá então, se te falar das coisas celestiais (espirituais)?.

 

Logicamente Jesus não podia esperar que Nicodemos entendesse as interpretações mais profundas desse ensinamento, nem tão pouco estava querendo ensinar-lhe o batismo, nesta passagem, como muitos querem justificar.

 

Se o Cristo falava realmente do batismo para Nicodemos, por que não o convidou a se batizar? E por que o próprio Cristo não o batizou?

Leia em João 4 : 2 que Cristo não batizava, quem batizava eram os discípulos. E por que diante de tantas curas, milagres e encontros, como no da ‘Adúltera’, com ‘Zaqueu’, com o ‘Centurião’, com a ‘Cananéia’, Cristo nunca falou em batismo? Não seria uma oportunidade para este convite?

No entanto, sua recomendação era para a mudança interior: ‘vai e não peques mais para que coisa pior não te venha acontecer’.



E Jesus conclui exemplificando: ‘como Moisés ergueu a serpente no deserto, assim o Filho do Homem será erguido da Terra’. (Veja a história da serpente erguida no deserto no Livro Números – vaikráh -21:4-9)

Aqui o Cristo prevê o que aconteceria a Ele, ou seja, a sua morte na cruz para que hoje seja erguido na terra como filho de Deus e dirigente de toda a nação terrena.

 

 

E, por fim, WW duvida que a palavra vento tenha mesmo o significado de Espírito.

 

““Nascer de novo”, citado por Jesus, no versículo 3 , segundo o Espiritismo, é uma declaração clara, enfática, de que existe reencarnação.” 

O Espiritismo usa o versículo 8 para tentar ilustrar isso. O “espírito”, como é sutil, etéreo, seria comparado com o “vento”.”

 

  

Na própria Bíblia, segundo o estudo de strongs,” este VENTO”, é mesmo sinônimo de ESPÍRITO.

 

 

João 3 : 8 – O VENTO sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito.

 

 O vento <4151> sopra <4154> (5719) onde <3699> quer <2309> (5719), ouves <191> (5719) a sua <846> voz <5456>, mas <235> não <3756> sabes <1492> (5758) donde <4159> vem <2064> (5736), nem <2532> para onde <4226> vai <5217> (5719); assim <3779> é <2076> (5748) todo o que <3956> é nascido <1080> (5772) do <1537> Espírito <4151>.

 

O vento <4151  pneuma pneuma

 2) o espírito, i.e., o princípio vital pelo qual o corpo é animado

2b) alma

3a) espírito que dá vida

3b) alma humana que partiu do corpo

 

 

Resolvi fazer um pequeno estudo através de strongs de mais alguns versículos. Vejamos:

 

A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.

 

A isto <846>, respondeu <611> (5662) <2532> <2036> (5627) Jesus <2424>: Em verdade <281>, em verdade <281> te <4671> digo <3004> (5719) que, se alguém <5100> não <3362> nascer <1080> (5686) de novo <509>, não <3756> pode <1410> (5736) ver <1492> (5629) o reino <932> de Deus <2316>.

 

 nascer <1080> (5686) gennaw gennao

 

 1) de homens que geraram filhos

1a) ser nascido

1b) ser procriado

1b1) de mulheres que dão \a luz a filhos

 

de novo <509> anwyen anothen

 

 1) de cima, de um lugar mais alto

1a) de coisas que vem do céu ou de Deus

2) do primeiro, do início

3) de novo, mais uma vez

 

 Obs.: Aqui foi usado o significado mais adequado à Igreja (de cima)

 

 

 4  Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez?

 

Perguntou-lhe <3004> (5719) <4314> <846> Nicodemos <3530>: Como <4459> pode <1410> (5736) um homem <444> nascer <1080> (5683), sendo <5607> (5752) velho <1088>? Pode <1410> (5736), porventura <3361>, voltar <1525> (5629) <1208> ao <1519> <848> ventre <2836> materno <3384> e <2532> nascer segunda vez <1080> (5683)?

 

 nascer <1080  gennaw gennao ser nascido

 velho <1088> gerwn geron –   homem idoso

 voltar <1525> (5629) <1208>1525 eisercomai eiserchomai  –  ir para fora ou vir para dentro: entrar

 ao <1519> <848>1519 eiv eis   – em, até, para, dentro, em direção a, entre

 ventre <2836> koilia koilia –  o ventre, o lugar onde o feto é concebido e sustentado até o nascimento

 materno <3384> mhter meter –    mãe

 e <2532> kai kai e, também, até mesmo, realmente, mas

 nascer segunda vez <1080> (5683 1080 gennaw gennao  – ser procriado

 

 

O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.

 

O que é nascido <1080> (5772) da <1537> carne <4561> é <2076> (5748) carne <4561>; e <2532> o que é nascido <1080> (5772) do <1537> Espírito <4151> é <2076> (5748) espírito <4151>.

 

carne <4561>4561 sarx sarx –  corpo de uma pessoa

Espírito <4151>4151 pneuma pneuma – o espírito, i.e., o princípio vital pelo qual o corpo é animado

 

 

E, WW conclui :

  

“Temos então: segundo o texto, o que significa “nascer novo”? Significa “reencarnação”? Definitivamente, não!”

 

 

Eu afirmo : DEFINITIVAMENTE, SIM. 

 

 

NASCER DE NOVO significa REENCARNAÇÃO.

 

 

 

O próximo Post será sobre  casos de Mediunidade na Bíblia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: