Prefácio e Biografia de Allan Kardec

26 mar

 

PREFÁCIO

 

Como escrevi na primeira Categoria, há algum tempo eu estava pensando em apresentar em um Blog, o que eu tinha aprendido e continuo aprendendo com o Espiritismo e o estudo da Bíblia.

 

Quanto mais estudo a Doutrina Espírita e a Bíblia, mais vejo o Espiritismo na Bíblia.

Os ensinamentos estão lá, só que de maneira mais simples.

 

Jesus disse que ainda tinha muito a nos dizer, mas nós não estávamos preparados e que enviaria o Espírito da Verdade, que nos guiaria a toda a verdade.

 

João 16 : 12  – 14

12  Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora;

 

13  quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade;

porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.

 

14  Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

 

 

João 8 : 31  –  32

31  Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele:

Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos;

 

32  e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

 

Então, nesta segunda Categoria Cristianismo e Espiritismo, procurarei colocar outros ensinamentos da Doutrina Espírita, ligados aos ensinamentos da Bíblia.

 

Hebreus 1 : 13  –  14

13 – Ora, a qual dos anjos jamais disse: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés?

 

14 –  Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

 

Hebreus 2 : 1  –  4

1 – Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos.

 

2 –  Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo,

 

3 –  como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;

 

4 – dando Deus testemunho juntamente com eles, por sinais, prodígios e vários milagres e por distribuições do Espírito Santo, segundo a sua vontade.

 

 

Gostaria de colocar alguns trechos do livro O Consolador – de Emmanuel – psicografado por Francisco C. Xavier.

 

Na introdução foi feita a seguinte pergunta a Emmanuel :

 

” Apresentando o Espiritismo, na sua feição de Consolador prometido pelo Cristo, três aspectos diferentes : científico, filosófico, religioso, qual desses aspectos é maior ?

 

Emmanuel respondeu :

 

“Podemos tomar o Espiritismo, simbolizado desse modo, como um triângulo de forças espirituais.

 

“A Ciência e a Filosofia vinculam à Terra essa figura simbólica, porém, a Religião é o ângulo divino que a liga ao céu.

 

No seu aspecto científico e filosófico, a doutrina será sempre um campo nobre de investigações humanas, como outros movimentos coletivos, de natureza intelectual, que visam o aperfeiçoamento da Humanidade.

 

No aspecto religioso, todavia, repousa a sua grandeza divina, por constituir a restauração do Evangelho de Jesus Cristo, estabelecendo a renovação do homem, para a grandeza do seu imenso futuro espiritual.”   

 

 

Sobre o Cristianismo, Emmanuel, na pág. 172, item 295, nos diz :

 

” O Cristianismo é a síntese, em simplicidade e luz, de todos os sistemas religiosos mais antigos, expressões fragmentárias das verdades sublimes trazidas ao mundo na palavra imorredoura de Jesus.”

 

 

Sobre Cristianismo e Espiritismo, na pág. 199, item 352, Emmanuel nos diz :

 

352 – Devemos reconhecer no Espiritismo o Cristianismo redivivo ?

redivivo :
1.Que retornou à vida; ressuscitado.
2.Que remoçou; rejuvenescido.

 

“O Espiritismo evangélico é o Consolador prometido por Jesus, que, pela voz dos seres redimidos, espalham as luzes por toda a Terra, restabelecendo a verdade e levantando o véu que cobre os ensinamentos na sua feição de Cristianismo redivivo, a fim de que os homens despertem para a era grandiosa da compreensão espiritual com o Cristo.”

 

 

Bem, então, para começar esta nova Categoria, vou colocar uma biografia resumida do Codificador do Espiritismo :

 

                    ALLAN   KARDEC

  Nasceu em Lyon , França, em  3 de outubro de  1804, como Hippolyte Léon  Denizard  Rivail.

Veio de uma família antiga, católica, que se distinguiu na magistratura e advocacia.

Mas, ele, desde jovem sentiu-se inclinado ao estudo das ciências e da filosofia.

Casou-se com a professora Amélie Boudet. 

 

–  Educado na Escola de Pestalozzi , em Yverdun ( Suíça ), tornou-se um dos mais eminentes discípulos desse célebre professor.

 

–  Era membro  de várias sociedades sábias e entre elas, a Academia Real de Arras.

De  1835 a 1840, fundou em sua casa , cursos gratuitos de Química , Física , Anatomia Comparada , Astronomia , etc……

 

 Entre as suas numerosas obras de educação, citaremos as seguintes :

 

 –   Plano proposto para melhoramento da Instrução pública ( 1828 ) ;

 

–   Curso Prático e Teórico de Aritmética , segundo o método de Pestalozzi , para  uso  dos professores e das mães de família ( 1824 ) ;

 

–   Gramática Francesa Clássica  ( 1831 ) ;

 

–   Manual dos exames para os títulos de capacidade ;

 

–   Soluções racionais das questões e problemas de Aritmética e de Geometria (     1846 )

 

–   Catecismo Gramatical da Língua Francesa ( 1848);

 

–   Programa dos Cursos Usuais de Química, Física , Astronomia, Fisiologia , que ele professava  no Liceu Polimático ;

 

–   Ditados normais dos exames da Municipalidade e da Sorbonne, seguidos de Ditados especiais sobre as dificuldades ortográficas  (1849 ).

 

 

–   Pelo ano de 1855, posta em foco a questão das manifestações  dos Espíritos, Allan Kardec se entregou a observações perseverantes sobre esse fenômeno, cogitando principalmente de lhe deduzir as conseqüências filosóficas.

 

–    Entreviu, desde logo,  o princípio de novas leis naturais : as que regem as relações entre o mundo visível e o mundo invisível.

 

 Reconheceu, na ação deste último, uma das forças da Natureza, cujo conhecimento haveria de lançar luz sobre uma imensidade de problemas tidos por insolúveis, e lhe compreendeu o alcance do ponto de vista religioso.

 

                         

       Suas obras principais sobre esta matéria são :

 

O Livro dos Espíritos, referente à parte filosófica , e cuja primeira edição  apareceu a 18 de abril  de 1857.

 

Contendo os princípios da Doutrina Espírita sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos e suas relações com os homens, as leis morais, a vida presente, a vida futura e o porvir da humanidade – segundo o ensinamento dos Espíritos superiores, através de diversos médiuns, recebidos e ordenados por – Allan Kardec.

O Livro dos Médiuns, relativo à parte experimental e científica  (janeirode1861)

 

Contendo os ensinamentos dos Espíritos sobre a teoria de todos os gêneros de  manifestações, os meios de comunicação com o Mundo Invisível, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os escolhos que se podem encontrar na prática do Espiritismo.

 

O Evangelho segundo o Espiritismo, concernente à parte moral ( abril de 1864 ).

 

 Com a explicação das máximas morais do Cristo em concordância com o Espiritismo e suas aplicações às diversas circunstâncias da vida.– por Allan Kardec.

 

Fé inabalável só é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da Humanidade.

 

 

O Céu e o Inferno, ou A Justiça de Deus segundo o Espiritismo (agosto de   1865)

 

Exame comparado das doutrinas sobre a passagem da vida corporal à vida espiritual, sobre as penalidades e recompensas futuras, sobre os anjos e demônios, sobre as penas, etc., seguido de numerosos exemplos acerca da situação real da alma durante e depois da morte

 

 

A Gênese, ou os Milagres e as Predições ( janeiro de 1868 )

 

A Doutrina Espírita há resultado do ensino coletivo e concordante dos Espíritos.

A Ciência é chamada a constituir a Gênese de acordo com as leis da  Natureza. 

Deus prova a sua grandeza e seu poder pela imutabilidade das suas leis e não   pela ab-rogação delas.

Para Deus, o passado e o futuro são o presente.

 

 

O que é o Espiritismo ? ou o resumo sob a forma de perguntas e respostas. 1859

 

A Revista Espírita, jornal de estudos psicológicos, periódico mensal começado a 1º de janeiro de 1858.

 

 

 –  Fundou em Paris, a 1º de abril de 1858, a primeira Sociedade Espírita regularmente  constituída, sob a denominação de Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, cujo fim exclusivo era o estudo de quanto possa contribuir para o progresso da nova ciência.

 

 –  Demonstrando que os fatos erroneamente qualificados de sobrenaturais se acham submetidos a leis, ele os incluiu na ordem dos fenômenos da Natureza, destruindo assim o último refúgio do maravilhoso e um dos elementos da superstição.

 

 –  Durante os primeiros anos em que se tratou de fenômenos espíritas, estes constituíram antes objeto de curiosidade, do que de meditações sérias.

O Livro dos Espíritos fez que o assunto fosse considerado sob aspecto muito diverso.

 

 –   Abandonaram-se as mesas girantes, que tinham sido apenas um prelúdio, e começou-se a atentar na doutrina, que abrange todas as questões de interesse para a Humanidade.

 

 –   As provas materiais que o Espiritismo apresenta da existência da alma e da vida futura tendem a destruir as idéias materialistas e panteístas.

Um dos princípios mais fecundos dessa doutrina e que deriva do precedente é o da PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS.

 

 –   Dele procede a explicação de todas as aparentes anomalias da vida futura, de todas as desigualdades intelectuais, morais e sociais, facultando ao homem saber de onde vem, para onde vai, para que fim se acha na Terra e porque aí sofre.

 

–  As idéias inatas se explicam pelos conhecimentos adquiridos nas vidas anteriores ;

a marcha dos povos e da Humanidade, pela ação dos homens dos tempos idos e que revivem, depois de terem progredido ;

as simpatias e antipatias, pela natureza das relações anteriores.

 

Essas relações, que religam a grande família humana de todas as épocas, dão por base, aos grandes princípios de fraternidade, de igualdade, de liberdade e de solidariedade universal, as próprias leis da Natureza e não mais uma simples teoria.

 

–   Em vez do postulado :

Fora da Igreja não há salvação, que alimenta a separação e a animosidade entre as diferentes seitas religiosas e que há feito correr tanto sangue,

 

o Espiritismo tem como divisa : FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO ( Mateus 25 : 31 – 46  e Tiago 2 : 14 – 26 ),

 

isto é, a igualdade entre os homens perante Deus, a tolerância, a liberdade de consciência e a benevolência mútua.

 

Mateus  25  :  31  –  45

 

31  Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória;

32  e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas;

33  e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda;

 

34  então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.

 

35  Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes;

36  estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me.

 

37  Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber?

38  E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos?

39  E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar?

 

40  O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.

 

41  Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.

 

42  Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;

43  sendo forasteiro, não me hospedastes; estando nu, não me vestistes; achando-me enfermo e preso, não fostes ver-me.

 

44  E eles lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, forasteiro, nu, enfermo ou preso e não te assistimos?

 

45  Então, lhes responderá: Em verdade vos digo que, sempre que o deixastes de fazer a um destes mais pequeninos, a mim o deixastes de fazer.

 

 

Tiago 2 : 14  –  26

 

14  Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo?

 

15  Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano,

16  e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?

 

17  Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta.

 

18  Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as obras, e eu, com as obras, te mostrarei a minha fé.

19  Crês, tu, que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios crêem e tremem.

 

20  Queres, pois, ficar certo, ó homem insensato, de que a fé sem as obras é inoperante?

21  Não foi por obras que Abraão, o nosso pai, foi justificado, quando ofereceu sobre o altar o próprio filho, Isaque?

22  Vês como a fé operava juntamente com as suas obras; com efeito, foi pelas obras que a fé se consumou,

23  e se cumpriu a Escritura, a qual diz: Ora, Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça; e: Foi chamado amigo de Deus.

 

24  Verificais que uma pessoa é justificada por obras e não por fé somente.

 

25  De igual modo, não foi também justificada por obras a meretriz Raabe, quando acolheu os emissários e os fez partir por outro caminho?

 

26  Porque, assim como o corpo sem espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta.

 

 

–   Em vez de fé cega, que anula a liberdade de pensar, ele diz : Não há fé inabalável, senão a que pode encarar face a face a razão, em todas as épocas da Humanidade.

 

À fé, uma base se faz necessária e essa base é a inteligência perfeita daquilo em que se tem de crer.

Para crer, não basta ver, é preciso, sobretudo, compreender.

 

A fé cega já não é para este século.

É precisamente ao dogma da fé cega que se deve  o ser hoje tão grande o número de  incrédulos,

porque ela quer impor-se e exige a abolição de uma das mais preciosas faculdades do homem : o raciocínio e o livre-arbítrio.

 

 

–   Allan Kardec desencarnou em 31 de março de 1869 , de aneurisma.

Sofria, desde longos anos, de uma enfermidade do coração, que só podia ser combatida por meio do repouso intelectual e pequena atividade material.

Porém, morreu conforme viveu : trabalhando.

 

Aneurisma

[Do gr. aneúrysma, ‘dilatação’.]

1.Patol. Dilatação parietal de artéria, de veia ou do coração.

 

 

O próximo Post será sobre os Princípios da Doutrina Espírita e a Bíblia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: