Espíritos errantes ; Mundos transitórios.

8 jun


Espíritos errantes

 

Espíritos errantes, quer dizer, despojados do corpo material à espera de uma nova encarnação para se aperfeiçoarem;

 

O Livro dos Espíritos – 2ª Parte – Capítulo VI – Da Vida Espírita.

223 A alma reencarna imediatamente após a separação do corpo?

Algumas vezes pode reencarnar imediatamente, mas normalmente só após intervalos mais ou menos longos.

 

Nos mundos superiores, a reencarnação é quase sempre imediata.

Nesses mundos em que a matéria corporal é menos grosseira, o Espírito, quando encarnado, desfruta de quase todos os seus atributos de Espírito.

Seu estado normal é semelhante ao dos vossos sonâmbulos lúcidos.

 

224 Em que se torna a alma no intervalo das encarnações?

Espírito errante que aguarda nova oportunidade e a espera.

 

224 a Qual a duração desses intervalos?

De algumas horas a alguns milhares de séculos.

Não há, propriamente falando, limite extremo estabelecido para o estado de erraticidade, que pode se prolongar por muito tempo, mas que nunca é perpétuo.

 

O Espírito sempre encontra, cedo ou tarde, a oportunidade de recomeçar uma existência que sirva de purificação às suas existências anteriores.

 

I Pedro  3 : 19  –  20

19  no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão,

20  os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água,

 

I Pedro 4 : 6 pois, para este fim, foi o evangelho pregado também a mortos, para que, mesmo julgados na carne segundo os homens, vivam no espírito segundo Deus.

 

224 b – Essa duração está subordinada à vontade do Espírito ou pode ser imposta como expiação?

É uma conseqüência do livre-arbítrio.

Os Espíritos têm perfeita consciência do que fazem, mas para alguns é também uma punição que a Providência lhes impõe1.

Outros pedem para que se prolongue, a fim de progredirem nos estudos que só podem ser feitos com proveito na condição de Espírito.

 

  1. Veja “Escolha das provas”, questão 258 e seguintes, 615, e especialmente a questão 963 e seguintes, (N. E.).

225 A erraticidade é, por si mesma, um sinal de inferioridade dos Espíritos?

Não, porque existem Espíritos errantes de todos os graus.

A encarnação é para o Espírito um estado transitório.

Como já dissemos, em seu estado normal, o Espírito está liberto da matéria.

226 Todos os Espíritos que não estão encarnados são errantes?

Daqueles que devem reencarnar, sim.

 

Mas os Espíritos puros que atingiram a perfeição não são errantes: seu estado é definitivo.

 

Os Espíritos, com relação às qualidades íntimas, são de diferentes ordens ou graus que vão avançando sucessivamente à medida que se depuram.

 

Quanto ao estado em que se acham, podem ser:

 

encarnados, ou seja, unidos a um corpo;

 

errantes, quer dizer, despojados do corpo material à espera de uma nova encarnação para se aperfeiçoarem;

 

Espíritos puros, perfeitos, que não têm mais necessidade de encarnação.

227 De que maneira os Espíritos errantes se instruem? É como nós?

Eles estudam seu passado e procuram os meios de se elevar.

Vêem, observam o que se passa nos lugares que percorrem;

ouvem os ensinamentos dos homens esclarecidos e os conselhos dos Espíritos mais elevados que eles e isso lhes inspira idéias que não tinham antes.

 

228 Os Espíritos conservam algumas das paixões humanas?

Os Espíritos elevados, ao se libertarem do corpo, deixam as más paixões e apenas guardam as do bem.
Hebreus 1 : 14 – Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

I João 4 : 1 – Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora.

Atos 8 : 29 –  Então, disse o Espírito a Filipe: Aproxima-te desse carro e acompanha-o.

Atos 10 : 19 – Enquanto meditava Pedro acerca da visão, disse-lhe o Espírito: Estão aí dois homens que te procuram;

Romanos 8 : 26  –  27

26  Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza;

porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis.

27  E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos.

 

Mas os Espíritos inferiores as conservam; de outra forma, seriam de primeira ordem.

 

I Pedro 3 : 19  –  20

19  no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão,

20  os quais, noutro tempo, foram desobedientes quando a longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca, na qual poucos, a saber, oito pessoas, foram salvos, através da água,

 

I Pedro 4 : 6pois, para este fim, foi o evangelho pregado também a mortos, para que, mesmo julgados na carne segundo os homens, vivam no espírito segundo Deus.

 

229 Por que os Espíritos, ao deixar a Terra, não deixam também todas as más paixões, uma vez que vêem os seus inconvenientes?

Tendes neste mundo pessoas que são excessivamente invejosas;

acreditais que, quando o deixam, perdem esse defeito?

 

Após a partida da Terra, principalmente para os que tiveram paixões muito intensas, uma espécie de atmosfera os acompanha, os envolve e todas essas coisas ruins se conservam, porque o Espírito ainda está impregnado das vibrações da matéria.

Entrevê a verdade apenas por alguns momentos, como para ter noção do bom caminho.

 

Lucas  11 : 24 – 26

24  Quando o espírito imundo sai do homem, anda por lugares áridos, procurando repouso;

e, não o achando, diz: Voltarei para minha casa, donde saí.

25  E, tendo voltado, a encontra varrida e ornamentada.

26  Então, vai e leva consigo outros sete espíritos, piores do que ele, e, entrando, habitam ali;

e o último estado daquele homem se torna pior do que o primeiro.

 

230 O Espírito progride na erraticidade?

Pode melhorar-se muito, sempre de acordo com sua vontade e seu desejo.

Mas é na existência corporal que põe em prática as novas idéias que adquiriu.

 

231 Os Espíritos errantes são felizes ou infelizes?

São felizes ou infelizes de acordo com seu mérito.

 

Romanos 14 : 12Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.

 

II Coríntios 5 : 10Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo,

para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.

 

São infelizes e sofrem por causa das paixões das quais ainda conservaram a essência ou são felizes segundo estejam mais ou menos desmaterializados.

 

No estado de erraticidade, o Espírito entrevê o que lhe falta para ser mais feliz e procura os meios de alcançá-lo.

Porém, nem sempre lhe é permitido reencarnar conforme sua vontade, o que para ele é uma punição.

 

232 No estado de erraticidade, os Espíritos podem ir a todos os mundos?

Depende. Quando o Espírito deixa o corpo, não está, apesar disso, completamente desprendido da matéria e ainda pertence ao mundo onde viveu ou a um do mesmo grau, a menos que, durante sua vida, tenha se elevado;

esse é, aliás, o objetivo a que deve pretender, sem o que nunca se aperfeiçoará.

 

Ele pode, entretanto, ir a alguns mundos superiores, mas nesse caso é como um estranho.

Consegue, na verdade, apenas os entrever e isso é o que lhe dá o desejo de se aperfeiçoar para ser digno da felicidade que lá se desfruta e poder habitá-los mais tarde.

 

233 Os Espíritos já purificados vão aos mundos inferiores?

Vão muitas vezes a fim de ajudá-los a progredir.

Senão esses mundos ficariam entregues a si mesmos, sem guias para dirigi-los.

 

 

Mundos transitórios

João 14 : 2 – Na casa de meu Pai há muitas moradas.

Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar.

234 Existem, como já foi dito, mundos que servem aos Espíritos errantes como estâncias transitórias ou locais de repouso?

Sim, existem. São particularmente destinados aos seres errantes, que podem neles habitar temporariamente.

São como acampamentos, campos para repousar de uma erraticidade bastante longa, condição sempre um tanto angustiante.

 

São posições intermediárias entre os outros mundos, graduados de acordo com a natureza dos Espíritos que podem alcançá-los e onde podem desfrutar de um bem-estar relativamente maior ou menor, conforme o caso.

 

234 a Os Espíritos que habitam esses mundos podem deixá-los quando querem?

Sim, os Espíritos podem deixá-los para irem aonde devem ir.

Imaginai-os como pássaros de passagem pousando numa ilha, esperando refazer suas forças para alcançar seu objetivo.

 

235 Os Espíritos progridem durante sua estada nos mundos transitórios?

Certamente. Os que neles se reúnem é com o objetivo de se instruir e poder mais facilmente obter a permissão de alcançar lugares melhores e chegar à posição que os eleitos atingem.

 

236 Os mundos transitórios, por sua natureza especial, são perpetuamente destinados aos Espíritos errantes?

Não; a posição deles é apenas temporária.

 

236 a – Esses mundos são, ao mesmo tempo, habitados por seres corporais?

Não; a superfície é estéril.

Aqueles que os habitam não têm necessidade de nada.

 

236 b – Essa esterilidade é permanente e resulta de sua natureza especial?

Não, são estéreis transitoriamente.

 

236 c – Esses mundos são, por isso, desprovidos de belezas naturais?

A natureza se reflete nas belezas da imensidade, que são tão admiráveis quanto o que chamais de belezas naturais.

 

236 d – Visto que o estado desses mundos é transitório, a Terra estará um dia nesse mesmo estado?

Ela já esteve.

 

236 e – Em que época?

Durante sua formação.

 

Nada é inútil na natureza;

tudo tem seu objetivo, sua finalidade.

Nada está vazio, tudo está habitado, a vida está por todos os lugares.

 

Desse modo, durante a longa série de séculos que se escoaram antes da aparição do homem sobre a Terra, durante esses lentos períodos de transição atestados pelas camadas geológicas, antes mesmo da formação dos primeiros seres orgânicos sobre essa massa informe, nesse caos árido onde os elementos estavam desordenados, não havia ausência de vida.

 

Seres que não possuíam nem necessidades nem sensações físicas como as nossas, nela encontravam refúgio.

Deus quis que, até mesmo nesse estado imperfeito, a Terra servisse para alguma coisa.

 

Quem ousaria dizer que entre esses milhares de mundos que circulam na imensidão universal apenas um, um dos menores, perdido na vastidão, tivesse o privilégio exclusivo de ser povoado?

Qual seria a utilidade dos outros?

 

Deus os teria feito apenas para recreação dos nossos olhos?

Suposição absurda, incompatível com a sabedoria que emana de todas as Suas obras e inadmissível quando se pensa na existência de todas as que não podemos perceber.

 

Ninguém contestará que nessa idéia da existência de mundos ainda impróprios à vida material e, entretanto, povoados de seres com vida apropriada ao seu meio, há algo de grandioso e sublime, em que se encontra, talvez, a solução de mais de um problema.

 

 

O próximo Post será sobre a Intervenção dos Espíritos no Mundo Corporal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: