JUSTIÇA DAS AFLIÇÕES – 1ª Parte – Bem e mal sofrer

11 jul

JUSTIÇA DAS AFLIÇÕES 

 

O Evangelho segundo o Espiritismo – Capítulo V – Bem-aventurados os Aflitos.

 

1. Bem-aventurados os que choram, pois que serão consolados.

– Bem-aventurados os famintos e os sequiosos de justiça, pois que serão saciados.

– Bem-aventurados os que sofrem perseguição pela justiça, pois que é deles o reino dos céus. (MATEUS, cap. V, vv. 5, 6 e 10.)

 

2. Bem-aventurados vós que sois pobres, porque vosso é o reino dos céus.

– Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis saciados.

– Ditosos sois, vós que agora chorais, porque rireis. (LUCAS,  VI : 20 e 21.)

 

Mas, ai de vós, ricos que tendes no mundo a vossa consolação.

– Ai de vós que estais saciados, porque tereis fome.

– Ai de vós que agora rides, porque sereis constrangidos a gemer e a chorar. (LUCAS, VI :  24 e 25.)

 

Justiça das aflições

 

3. Somente na vida futura podem efetivar-se as compensações que Jesus promete aos aflitos da Terra.

Sem a certeza do futuro, estas máximas seriam um contra-senso;

mais ainda: seriam um engodo.

Mesmo com essa certeza, dificilmente se compreende a conveniência de sofrer para ser feliz.

E, dizem, para se ter maior mérito.

 

Mas, então, pergunta-se:

 

Por que sofrem uns mais do que outros?

 

Por que nascem uns na miséria e outros na opulência, sem coisa alguma haverem feito que justifique essas posições?

 

Por que uns nada conseguem, ao passo que a outros tudo parece sorrir?

 

Todavia, o que ainda menos se compreende é que os bens e os males sejam tão desigualmente repartidos entre o vício e a virtude; e que os homens virtuosos sofram, ao lado dos maus que prosperam.

 

A fé no futuro pode consolar e infundir paciência, mas não explica essas anomalias, que parecem desmentir a justiça de Deus.

 

Entretanto, desde que admita a existência de Deus, ninguém o pode conceber sem o infinito das perfeições.

 

Ele necessariamente tem todo o poder, toda a justiça, toda a bondade, sem o que não seria Deus.

Se é soberanamente bom e justo, não pode agir caprichosamente, nem com parcialidade.

 

Logo, as vicissitudes da vida derivam de uma causa e, pois que Deus é justo, justa há de ser essa causa.

Isso o de que cada um deve bem compenetrar-se.

 

Por meio dos ensinos de Jesus, Deus pôs os homens na direção dessa causa, e hoje, julgando-os suficientemente maduros para compreendê-la, lhes revela completamente a aludida causa,

por meio do Espiritismo, isto é, pela palavra dos Espíritos.

 

Hebreus 1 : 13 – 14

13  Ora, a qual dos anjos jamais disse: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés?

14  Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

Hebreus 2 : 1  – 4

Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos.

Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo,

como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação?

A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;

dando Deus testemunho juntamente com eles, por sinais, prodígios e vários milagres e por distribuições do Espírito Santo, segundo a sua vontade.

  

INSTRUÇÕES DOS ESPÍRITOS

 

Bem e mal sofrer

18. Quando o Cristo disse: “Bem-aventurados os aflitos, o reino dos céus lhes pertence”, não se referia de modo geral aos que sofrem, visto que sofrem todos os que se encontram na Terra, quer ocupem tronos, quer jazam sobre a palha.

Mas, ah! poucos sofrem bem;

poucos compreendem que somente as provas bem suportadas podem conduzi-los ao reino de Deus.

 

Tiago  1 : 12 – Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação;

porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam.

 

O desânimo é uma falta.

Deus vos recusa consolações, desde que vos falte coragem.

A prece é um apoio para a alma;

contudo, não basta: é preciso tenha por base uma fé viva na bondade de Deus.

 

Ele já muitas vezes vos disse que não coloca fardos pesados em ombros fracos.

O fardo é proporcionado às forças, como a recompensa o será à resignação e à coragem.

Mais opulenta será a recompensa, do que penosa a aflição.

Cumpre, porém, merecê-la, e é para isso que a vida se apresenta cheia de tribulações.

 

Atos 14 : 22 –  .. fortalecendo a alma dos discípulos, exortando-os a permanecer firmes na fé;

e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus

 

O militar que não é mandado para as linhas de fogo fica descontente, porque o repouso no campo nenhuma ascensão de posto lhe faculta.

Sede, pois, como o militar e não desejeis um repouso em que o vosso corpo se enervaria e se entorpeceria a vossa alma.

 

Alegrai-vos, quando Deus vos enviar para a luta.

Não consiste esta no fogo da batalha, mas nos amargores da vida, onde, às vezes, de mais coragem se há mister do que num combate sangrento, porquanto não é raro que aquele que se mantém firme em presença do inimigo fraqueje nas tenazes de uma pena moral.

 

Nenhuma recompensa obtém o homem por essa espécie de coragem;

mas, Deus lhe reserva palmas de vitória e uma situação gloriosa.

 

Quando vos advenha uma causa de sofrimento ou de contrariedade, sobreponde-vos a ela, e, quando houverdes conseguido dominar os ímpetos da impaciência, da cólera, ou do desespero, dizei, de vós para convosco, cheio de justa satisfação: “Fui o mais forte.”

 

Bem-aventurados os aflitos pode então traduzir-se assim:

Bem-aventurados os que têm ocasião de provar sua fé, sua firmeza, sua perseverança e sua submissão à vontade de Deus, porque terão centuplicada a alegria que lhes falta na Terra, porque depois do labor virá o repouso. Lacordaire. (Havre, 1863.)

 

Tiago 1 : 2  – 4

2 – Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações,

3sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança.

4Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes.

 

 

O mal e o remédio

19. Será a Terra um lugar de gozo, um paraíso de delícias?

Já não ressoa mais aos vossos ouvidos a voz do profeta?

Não proclamou ele que haveria prantos e ranger de dentes para os que nascessem nesse vale de dores?

Esperai, pois, todos vós que aí viveis, causticantes lágrimas e amargo sofrer e, por mais agudas e profundas sejam as vossas dores, volvei o olhar para o Céu e bendizei do Senhor por ter querido experimentar-vos…

 

I Tessalonicenses 2 : 4 –  pelo contrário, visto que fomos aprovados por Deus, a ponto de nos confiar ele o evangelho, assim falamos, não para que agrademos a homens, e sim a Deus, que prova o nosso coração.

Ó homens! dar-se-á não reconheçais o poder do vosso Senhor, senão quando ele vos haja curado as chagas do corpo e coroado de beatitude e ventura os vossos dias?

 

Dar-se-á não reconheçais o seu amor, senão quando vos tenha adornado o corpo de todas as glórias e lhe haja restituído o brilho e a brancura?

 

Imitai aquele que vos foi dado para exemplo.

Tendo chegado ao último grau da abjeção e da miséria, deitado sobre um monte de lixo, disse ele a Deus: “Senhor, conheci todos os deleites da opulência e me reduzistes à mais absoluta miséria;

obrigado, obrigado, meu Deus, por haverdes querido experimentar o vosso servo!”

 

Até quando os vossos olhares se deterão nos horizontes que a morte limita?

Quando, afinal, vossa alma se decidirá a lançar-se para além dos limites de um túmulo?

 

Houvésseis de chorar e sofrer a vida inteira, que seria isso, a par da eterna glória reservada ao que tenha sofrido a prova com fé, amor e resignação?

 

II Coríntios 4 : 17  – 18

17 – Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação,

18não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem;

porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.

 

Buscai consolações para os vossos males no porvir que Deus vos prepara e procurai-lhe a causa no passado.

E vós, que mais sofreis, considerai-vos os afortunados da Terra.

 

Como desencarnados, quando pairáveis no Espaço, escolhestes as vossas provas, julgando-vos bastante fortes para as suportar. Por que agora murmurar?

 

Vós, que pedistes a riqueza e a glória, queríeis sustentar luta com a tentação e vencê-la.

 

Vós, que pedistes para lutar de corpo e espírito contra o mal moral e físico, sabíeis que quanto mais forte fosse a prova, tanto mais gloriosa a vitória e que, se triunfásseis, embora devesse o vosso corpo parar num monte de lixo, dele, ao morrer, se desprenderia uma alma de rutilante alvura e purificada pelo batismo da expiação e do sofrimento.

 

Que remédio, então, prescrever aos atacados de obsessões cruéis e de cruciantes males?

Só um é infalível: a fé, o apelo ao Céu.

 

Se, no auge dos vossos sofrimentos, entoardes hinos ao Senhor, o anjo, à vossa cabeceira, com a mão vos apontará o sinal da salvação e o lugar que um dia ocupareis…

 

A fé é o remédio seguro do sofrimento;

mostra sempre os horizontes do infinito diante dos quais se esvaem os poucos dias brumosos do presente.

Não nos pergunteis, portanto, qual o remédio para curar tal úlcera ou tal chaga, para tal tentação ou tal prova.

 

Lembrai-vos de que aquele que crê é forte pelo remédio da fé e que aquele que duvida um instante da sua eficácia é imediatamente punido, porque logo sente as angústias pungentes da aflição.

 

Hebreus 11 : 1 – Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem.

 

O Senhor apôs o seu selo em todos os que nele creem.

O Cristo vos disse que com a fé se transportam montanhas e eu vos digo que aquele que sofre e tem a fé por amparo ficará sob a sua égide e não mais sofrerá.

 

Marcos 5 : 34 –  E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou;

vai-te em paz e fica livre do teu mal.

 

Os momentos mais dolorosos serão para ele como as primeiras notas de alegria da eternidade.

Sua alma se desprenderá de tal maneira do corpo, que, enquanto esse  se torcer em convulsões, ela planará nas regiões celestes, entoando, com os anjos, hinos de reconhecimento e de glória ao Senhor.

 

Romanos 8 : 18Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós.

 

Felizes os que sofrem e choram! Alegres estejam suas almas, porque Deus as cumulará de bem-aventuranças. Santo Agostinho. (Paris, 1863.)

 

 

A felicidade não é deste mundo

20. Não sou feliz! A felicidade não foi feita para mim! exclama geralmente o homem em todas as posições sociais.

Isso, meus caros filhos, prova, melhor do que todos os raciocínios possíveis, a verdade desta máxima do Eclesiastes: “A felicidade não é deste mundo.”

 

Com efeito, nem a riqueza, nem o poder, nem mesmo a florida juventude são condições essenciais à felicidade.

Digo mais: nem mesmo reunidas essas três condições tão desejadas, porquanto incessantemente se ouvem, no seio das classes mais privilegiadas, pessoas de todas as idades se queixarem amargamente da situação em que se encontram.

 

Diante de tal fato, é incontestável que as classes laboriosas e militantes invejem com tanta ânsia a posição das que parecem favorecidas da fortuna.

Neste mundo, por mais que faça, cada um tem a sua parte de labor e de miséria, sua cota de sofrimentos e de decepções, donde facilmente se chega à conclusão de que a Terra é lugar de provas e de expiações.

 

Assim, pois, os que pregam que ela é a única morada do homem e que somente nela e numa só existência é que lhe cumpre alcançar o mais alto grau das felicidades que a sua natureza comporta, iludem-se e enganam os que os escutam, visto que demonstrado está, por experiência arqui-secular, que só excepcionalmente este globo apresenta as condições necessárias à completa felicidade do indivíduo.

 

João 14 : 2 – Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar.

Em tese geral pode afirmar-se que a felicidade é uma utopia a cuja conquista as gerações se lançam sucessivamente, sem jamais lograrem alcançá-la. Se o homem ajuizado é uma raridade neste mundo, o homem absolutamente feliz jamais foi encontrado.

 

O em que consiste a felicidade na Terra é coisa tão efêmera para aquele que não tem a guiá-lo a ponderação, que, por um ano, um mês, uma semana de satisfação completa, todo o resto da existência é uma série de amarguras e decepções.

E notai, meus caros filhos, que falo dos venturosos da Terra, dos que são invejados pela multidão.

 

Conseguintemente, se à morada terrena são peculiares as provas e a expiação, forçoso é se admita que, algures, moradas há mais favorecidas, onde o Espírito, conquanto aprisionado ainda numa carne material, possui em toda a plenitude os gozos inerentes à vida humana.

 

Tal a razão por que Deus semeou, no vosso turbilhão, esses belos planetas superiores para os quais os vossos esforços e as vossas tendências vos farão gravitar um dia, quando vos achardes suficientemente purificados e aperfeiçoados.

 

I Pedro 5 : 10 – depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar.

 

Todavia, não deduzais das minhas palavras que a Terra esteja destinada para sempre a ser uma penitenciária. Não, certamente!

 

Dos progressos já realizados, podeis facilmente deduzir os progressos futuros e, dos melhoramentos sociais conseguidos, novos e mais fecundos melhoramentos.

Essa a tarefa imensa cuja execução cabe à nova doutrina que os Espíritos vos revelaram.

 

Assim, pois, meus queridos filhos, que um santo estímulo vos anime e que cada um de vós se despoje do homem velho.

 

Efésios 4 : 22  –  24

22  no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano,

23  e vos renoveis no espírito do vosso entendimento,

24  e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.

 

Deveis todos consagrar-vos à propagação desse Espiritismo que já deu começo à vossa própria regeneração.

 

Corre-vos o dever de fazer que os vossos irmãos participem dos raios da sagrada luz.

Mãos, portanto, à obra, meus muito queridos filhos!

 

Que nesta reunião solene todos os vossos corações aspirem a esse grandioso objetivo de preparar para as gerações porvindouras um mundo onde já não seja vã a palavra felicidade. François-Nicolas-Madeleine, cardeal Morlot. (Paris, 1863.)

 

 

O próximo Post será : Perda de pessoas amadas. Mortes prematuras. Os tormentos voluntários.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: