LEIS MORAIS – LEI DIVINA ou NATURAL – Origem e Conhecimento da Lei Natural

27 fev

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LEIS MORAIS – LEI DIVINA ou NATURAL – Origem e Conhecimento da Lei Natural

 

Livro : O Livro dos Espíritos – Parte 3ª – Capítulo I

 

Origem e conhecimento da lei natural

619 Deus deu a todos os homens meios de conhecer Sua lei?

Todos podem conhecê-la, mas nem todos a compreendem;

os que a compreendem melhor são os homens de bem e os que procuram pesquisá-la;

entretanto, todos a compreenderão um dia, porque é preciso que o progresso se realize.

 

A justiça das diversas encarnações do homem é uma consequência desse princípio, uma vez que a cada nova existência sua inteligência é mais desenvolvida e compreende melhor o bem e o mal.

 

Se tudo devesse se cumprir numa única existência, qual seria a sorte de tantos milhões de seres que morrem a cada dia no embrutecimento da selvageria ou nas trevas da ignorância, sem que tivesse dependido deles o esclarecimento? (Veja as questões 171 e 222.)

 

Justiça da reencarnação

171 Em que se baseia o dogma da reencarnação?

 

Na justiça de Deus e na revelação, e repetimos incessantemente: um bom pai deixa sempre para seus filhos uma porta aberta ao arrependimento.

A razão não vos diz que seria injusto privar, para sempre, da felicidade eterna todos aqueles cujo aprimoramento não dependeu deles mesmos?

Não são todos os homens filhos de Deus?

Só homens egoístas podem pregar a injustiça, o ódio implacável e os castigos sem perdão.

 

☼ Todos os Espíritos estão destinados à perfeição, e Deus lhes fornece os meios de alcançá-la pelas provações da vida corporal.

Mas, na Sua justiça, lhes permite cumprir, em novas existências, o que não puderam fazer, ou acabar, numa primeira prova.

 

Atos 14 : 22 –  .. fortalecendo a alma dos discípulos, exortando-os a permanecer firmes na fé;

e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus

 

 

 II Tessalonicenses 1 : 4 – 5

 4 – a tal ponto que nós mesmos nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus, à vista da vossa constância e fé, em todas as vossas perseguições e nas tribulações que suportais,

5 – sinal evidente do reto juízo de Deus, para que sejais considerados dignos do reino de Deus, pelo qual, com efeito, estais sofrendo;

 

 

I Pedro 5 : 10 – depois de terdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, firmar, fortificar e fundamentar.

 

 

Não estaria de acordo nem com a igualdade, a justiça, nem com a bondade de Deus condenar para sempre os que encontraram, no próprio meio em que viveram, obstáculos ao seu melhoramento, independentemente de sua vontade.

Se a sorte do homem estivesse irrevogavelmente fixada após a morte, Deus não teria pesado as ações de todos numa única e mesma balança e não agiria com imparcialidade.

 

A doutrina da reencarnação, que consiste em admitir para o homem diversas existências sucessivas, é a única que responde à ideia que fazemos da justiça de Deus em relação aos homens que se acham numa condição moral inferior;

 

a única que pode nos explicar o futuro e firmar nossas esperanças, porque nos oferece o meio de resgatar nossos erros por novas provações.

 

A razão nos demonstra essa doutrina e os Espíritos a ensinam.

 

Hebreus 1 : 14  Não são todos eles espíritos ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

 

Hebreus 2 : 1 – 4

 

1 Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos.

 

Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo,

 

como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;

 

dando Deus testemunho juntamente com eles, por sinais, prodígios e vários milagres e por distribuições do Espírito Santo, segundo a sua vontade.

 

 

O homem que tem consciência de sua inferioridade encontra na doutrina da reencarnação uma esperança consoladora.

Se acredita na justiça de Deus, não pode esperar achar-se, perante a eternidade, em pé de igualdade com aqueles que agiram melhor do que ele. 

 

Contudo, o pensamento de que essa inferioridade não o exclui para sempre do bem supremo que conquistará mediante novos esforços o sustenta e lhe reanima a coragem.

Quem é que, no término de sua caminhada, não lamenta ter adquirido muito tarde uma experiência que não pode mais aproveitar?

Porém, essa experiência tardia não está perdida;

tirará proveito dela numa nova vida.

 

 

Deus deseja que TODOS sejam salvos :

 

II Pedro 3 : 9 – Não retarda o SENHOR a sua promessa, como alguns a julgam demorada ;

pelo contrário , ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que TODOS cheguem ao arrependimento.

 

I Timóteo 2 : 4 – o qual deseja que TODOS os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.

 

 

Observação : Recomendo a leitura do Post : CONSIDERAÇÕES SOBRE A PLURALIDADE DAS EXISTÊNCIAS (222).

 

Jeremias 9 : 23 – 24

23  Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem o forte, na sua força, nem o rico, nas suas riquezas;

24  mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra;

porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.

 

João 4 : 23 – 24

23  Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade;

porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.

24  Deus é espírito;

e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.

 

João 7 : 16 – 18

16  Respondeu-lhes Jesus: O meu ensino não é meu, e sim daquele que me enviou.

17  Se alguém quiser fazer a vontade dele, conhecerá a respeito da doutrina, se ela é de Deus ou se eu falo por mim mesmo.

18  Quem fala por si mesmo está procurando a sua própria glória;

mas o que procura a glória de quem o enviou, esse é verdadeiro, e nele não há injustiça.

 

João 8 : 31 – 32

31  Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos;

32  e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

 

João 13 : 34 – 35

34  Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros;

assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros.

35  Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.

 

João 14 : 15 – 17

15  Se me amais, guardareis os meus mandamentos.

16  E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco,

17  o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não no vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós.

 

Observação : Guardar os mandamentos, não significa, decorar versículos, mas, sim, PRATICAR os ensinamentos.

 

Tiago 1 : 22 – Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos.

 

Lucas 6 : 46 – 49

46 Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando?

 

47 Todo aquele que vem a mim, e ouve as minhas palavras, e as pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante.

48 É semelhante a um homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou o alicerce sobre a rocha;

e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não a pôde abalar, por ter sido bem construída.

49 Mas o que ouve e não pratica é semelhante a um homem que edificou uma casa sobre a terra sem alicerces, e, arrojando-se o rio contra ela, logo desabou; e aconteceu que foi grande a ruína daquela casa.

 

Tiago 2 : 14 – 17

14  Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras? Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo?

15  Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano,

16  e qualquer dentre vós lhes disser: Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos, sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?

17  Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta.

 

João 14 : 26 – mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.

 

João 16 : 12 – 15

12  Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora;

 

13  quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade;

porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.

 

14  Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

15  Tudo quanto o Pai tem é meu;

por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

 

Parábola do Semeador

 

Mateus 13 : 1 – 9

Naquele mesmo dia, saindo Jesus de casa, assentou-se à beira-mar;

e grandes multidões se reuniram perto dele, de modo que entrou num barco e se assentou; e toda a multidão estava em pé na praia.

 

E de muitas coisas lhes falou por parábolas e dizia: Eis que o semeador saiu a semear.

E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho, e, vindo as aves, a comeram.

Outra parte caiu em solo rochoso, onde a terra era pouca, e logo nasceu, visto não ser profunda a terra.

Saindo, porém, o sol, a queimou; e, porque não tinha raiz, secou-se.

Outra caiu entre os espinhos, e os espinhos cresceram e a sufocaram.

Outra, enfim, caiu em boa terra e deu fruto: a cem, a sessenta e a trinta por um.

 

Quem tem ouvidos para ouvir , ouça.

 

Mateus 13 : 18 – 23

Atendei vós, pois, à parábola do semeador.

 

19  A todos os que ouvem a palavra do reino e não a compreendem, vem o maligno e arrebata o que lhes foi semeado no coração.

Este é o que foi semeado à beira do caminho.

 

20  O que foi semeado em solo rochoso, esse é o que ouve a palavra e a recebe logo, com alegria;

21  mas não tem raiz em si mesmo, sendo, antes, de pouca duração;

em lhe chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza.

 

22  O que foi semeado entre os espinhos é o que ouve a palavra, porém os cuidados do mundo e a fascinação das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera.

 

23  Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende;

este frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um.

 

Romanos 12 : 2 : E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de  Deus.

 

 

Livro : Filosofia EspíritaEspírito MiramezPsicografado por João Nunes Maia.

619/LE

 

CONHECIMENTO DAS LEIS

 

 

Precisamos firmar mais na mente que Deus é Pai amoroso e que jamais ama um filho mais que outro.

O Seu amor é universal em todos os aspectos da vida eterna.

Como compreender um Deus egoísta, orgulhoso e separativista, se Ele é unidade, é harmonia perfeita ?

 

Devemos sempre consultar o Evangelho de Jesus, que logo notamos o que é Deus, ante a Sua paternidade Universal.

Deus facultou a todas as criaturas conhecerem as leis criadas por Ele.

Os homens, quando fazem uma lei, não divulgam para que todos possam conhecê-la ?

 

O conhecimento é uma advertência para que possamos respeitar as leis, entrementes, não é dado a todos a perceberem como elas são, devido à posição espiritual de cada ser.

Mas, aí chega a misericórdia divina, servindo de instrumento aos mais sábios, para orientar os que ignoram as verdades espirituais.

 

As religiões têm esse dever de tornar visíveis as leis de Deus e induzir os homens à sua prática, para que esses sejam mais felizes.

O avanço desses conhecimentos depende muito de cada ser, da sua boa vontade de aprender, de melhorar suas condições espirituais.

 

Jesus, como Governador do planeta, não esqueceu de enviar, bem antes da Sua vinda, grandes missionários, entregando aos homens revelações de leis mais claras;

E Ele viria depois, para confirmar tudo o que foi dito por eles.

 

Mateus 5 : 17 – Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas;

não vim para revogar, vim para cumprir.

 

O Mestre não veio destruir a lei, mas apenas confirmá-la com mais claridade.

Ele não veio mudar a lei imutável criada por Deus, mas dar-lhe cumprimento, como fez a Doutrina dos Espíritos, pelas comunicações mediúnicas.

 

Nada está sendo mudado, da maneira que se possa entender como mudanças, apenas abrindo mais os olhos das criaturas, para verem mais de perto as leis naturais, criadas e estabelecidas por Deus.

 

Depois que  Jesus deu a conhecer o que os homens já poderiam assimilar, a responsabilidade aumentou para o nosso bem, conforme anotado por Mateus, no capítulo sete, versículo dois :

Pois com o critério com que julgardes, sereis julgados;

e com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também.

 

Pelo crescimento dos Espíritos na ascensão espiritual, as responsabilidades passam a crescer igualmente, mas o mestre não esquece as normas que devemos seguir e nos livrar do mal.

Se observarmos a lei dentro da sua perfeita justiça, seremos livres do mal.

 

Vejamos a esperança que “O Livro dos Espíritos” nos traz, quando esclarece sobre o conhecimento das leis de Deus :

Todos, entretanto, a compreenderão um dia, porquanto forçoso é que o progresso se efetue.

 

Reconhecemos que Deus é amor, pois não esquece os homens e, muito mais, aciona o progresso para que esse faça dos seres de outros reinos os próprios homens.

I João 4 : 16 –  E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós.

Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

 

O ensejo de crescer é para todos, sem exceção, para a glória da vida.

 

I Timóteo 2 : 4 – o qual deseja que TODOS os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.

 

 

Ao leitor que nos acompanha, apressamo-nos em dizer que está sendo chamado e escolhido para o crescimento espiritual.

 

Mateus 22 : 14 – Porque muitos são chamados, mas poucos, escolhidos.

 

 

Faze a tua parte, pois Deus e Cristo já fizeram a Sua, e os Espíritos benfeitores te ajudarão, se te ajudares a ti mesmo.

 

Mateus 7 : 7 – Pedi, e dar-se-vos-á;

buscai e achareis;

batei, e abrir-se-vos-á.

 

 

Não esqueças a advertência do Cristo :

Não julgar, para não seres julgado, sentença de luz, para a luz da consciência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: