LEIS MORAIS – LEI DA ADORAÇÃO – 663 – A PRECE – As preces que fazemos por nós mesmos podem mudar nossas provas e desviar-lhes o curso?

30 dez

LEIS MORAISLEI DA ADORAÇÃO663A PRECEAs preces que fazemos por nós mesmos podem mudar nossas provas e desviar-lhes o curso?

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraLeis MoraisCapítulo IILei da AdoraçãoA PRECEitem 663.

 

663 As preces que fazemos por nós mesmos podem mudar nossas provas e desviar-lhes o curso?

Vossas provas estão nas mãos de Deus e há algumas que devem ser suportadas até o fim, mas Deus tem sempre em conta a resignação.

 

II Tessalonicenses 1 : 4 – 5

4 – a tal ponto que nós mesmos nos gloriamos de vós nas igrejas de Deus, à vista da vossa constância e fé, em todas as vossas perseguições e nas tribulações que suportais,

5 – sinal evidente do reto juízo de Deus, para que sejais considerados dignos do reino de Deus, pelo qual, com efeito, estais sofrendo;

 

 

A prece traz para junto de vós os bons Espíritos que dão a força de suportá-las com coragem e fazem com que pareçam menos duras.

 

Romanos 8 : 26 – Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza;

porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis.

 

 

Já dissemos, a prece nunca é inútil quando é bem-feita, porque dá força àquele que ora, o que já é um grande resultado.

Ajudai-vos e o céu vos ajudará, sabeis disso.

 

Mateus 7 : 7 – 8

Pedi, e dar-se-vos-á;

buscai e achareis;

batei, e abrir-se-vos-á.

 

Pois todo o que pede recebe;

o que busca encontra;

e, a quem bate, abrir-se-lhe-á.

 

 

Aliás, Deus não pode mudar a ordem da natureza à vontade de cada um, porque aquilo que é um grande mal sob o vosso ponto de vista mesquinho e vossa vida efêmera  (de pouca duração) é, muitas vezes, um grande bem na ordem geral do universo.

 

Romanos 5 : 3 – 4

3 – E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações,

sabendo que a tribulação produz perseverança;

4 – e a perseverança, experiência;

e a experiência, esperança.

 

 

Além de tudo, quantos males há dos quais o homem é o próprio autor por sua imprevidência ou por suas faltas !

É punido naquilo que errou.

 

Entretanto, os pedidos justos são muitas vezes atendidos mais vezes do que supondes.

 

Acreditais que Deus não vos tem escutado, porque não fez um milagre por vós, enquanto vos assiste por meios tão naturais que parecem o efeito do acaso ou da força das coisas;

muitas vezes também, muitas vezes mesmo, Ele vos sugere o pensamento necessário para, por vós mesmos, sairdes do problema.

 

 

Livro : O Evangelho segundo o EspiritismoCapítulo VBEM-AVENTURADOS OS AFLITOS.

 

Bem-aventurados os aflitos

 

1. Bem-aventurados os que choram, pois que serão consolados.

– Bem-aventurados os famintos e os sequiosos de justiça, pois que serão saciados.

– Bem-aventurados os que sofrem perseguição pela justiça, pois que é deles o reino dos céus. (S. MATEUS, cap. V, vv. 5, 6 e 10.)

 

2. Bem-aventurados vós que sois pobres, porque vosso é o reino dos céus.

– Bem-aventurados vós, que agora tendes fome, porque sereis saciados.

– Ditosos sois, vós que agora chorais, porque rireis. (S. LUCAS, cap. VI, vv. 20 e 21.)

 

Mas, ai de vós, ricos que tendes no mundo a vossa consolação.

– Ai de vós que estais saciados, porque tereis fome.

– Ai de vós que agora rides, porque sereis constrangidos a gemer e a chorar. (S. LUCAS, cap. VI, vv. 24 e 25.)

 

 

Justiça das aflições

3. Somente na vida futura podem efetivar-se as compensações que Jesus promete aos aflitos da Terra.

Sem a certeza do futuro, estas máximas seriam um contra-senso; mais ainda: seriam um engodo.

 

Mesmo com essa certeza, dificilmente se compreende a conveniência de sofrer para ser feliz.

E, dizem, para se ter maior mérito.

 

Mas, então, pergunta-se: por que sofrem uns mais do que outros?

 

Por que nascem uns na miséria e outros na opulência, sem coisa alguma haverem feito que justifique essas posições?

 

Por que uns nada conseguem, ao passo que a outros tudo parece sorrir?

 

Todavia, o que ainda menos se compreende é que os bens e os males sejam tão desigualmente repartidos entre o vício e a virtude;

e que os homens virtuosos sofram, ao lado dos maus que prosperam.

 

A fé no futuro pode consolar e infundir paciência, mas não explica essas anomalias, que parecem desmentir a justiça de Deus.

 

Entretanto, desde que admita a existência de Deus, ninguém o pode conceber sem o infinito das perfeições.

 

Ele necessariamente tem todo o poder, toda a justiça, toda a bondade, sem o que não seria Deus.

 

Se é soberanamente bom e justo, não pode agir caprichosamente, nem com parcialidade.

 

Logo, as vicissitudes da vida derivam de uma causa e, pois que Deus é justo, justa há de ser essa causa.

 

Isso o de que cada um deve bem compenetrar-se.

 

Por meio dos ensinos de Jesus, Deus pôs os homens na direção dessa causa, e hoje, julgando-os suficientemente maduros para compreendê-la,

lhes revela completamente a aludida causa, por meio do Espiritismo, isto é, pela palavra dos Espíritos.

 

Hebreus 1 : 14 – Não são todos eles ESPÍRITOS ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

Hebreus 2 : 1 – Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos.

 

 

Causas atuais das aflições

4. De duas espécies são as vicissitudes da vida, ou, se o preferirem, promanam (derivam, procedem) de duas fontes bem diferentes, que importa distinguir.

Umas têm sua causa na vida presente;

outras, fora desta vida.

 

Remontando-se à origem dos males terrestres, reconhecer-se-á que muitos são consequência natural do caráter e do proceder dos que os suportam.

 

Quantos homens caem por sua própria culpa!

Quantos são vítimas de sua imprevidência, de seu orgulho e de sua ambição!

 

Quantos se arruinam por falta de ordem, de perseverança, pelo mau proceder, ou por não terem sabido limitar seus desejos!

 

Quantas uniões desgraçadas, porque resultaram de um cálculo de interesse ou de vaidade e nas quais o coração não tomou parte alguma!

 

Quantas dissensões (desavenças) e funestas disputas se teriam evitado com um pouco de moderação e menos suscetibilidade!

 

Quantas doenças e enfermidades decorrem da intemperança e dos excessos de todo gênero!

 

Quantos pais são infelizes com seus filhos, porque não lhes combateram desde o princípio as más tendências!

Por fraqueza, ou indiferença, deixaram que neles se desenvolvessem os germens do orgulho, do egoísmo e da tola vaidade, que produzem a secura do coração;

depois, mais tarde, quando colhem o que semearam, admiram-se e se afligem da falta de deferência com que são tratados e da ingratidão deles.

 

 

Gálatas 6 : 7 – Não vos enganeis: de Deus não se zomba;

pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.

 

 

Interroguem friamente suas consciências todos os que são feridos no coração pelas vicissitudes e decepções da vida;

remontem passo a passo à origem dos males que os torturam e verifiquem se, as mais das vezes, não poderão dizer: Se eu houvesse feito, ou deixado de fazer tal coisa, não estaria em semelhante condição.

 

A quem, então, há de o homem responsabilizar por todas essas aflições, senão a si mesmo?

 

O homem, pois, em grande número de casos, é o causador de seus próprios infortúnios;

mas, em vez de reconhecê-lo, acha mais simples, menos humilhante para a sua vaidade acusar a sorte, a Providência, a má fortuna, a má estrela, ao passo que a má estrela é apenas a sua incúria (negligência).

 

Provérbios 24 : 12 – Se disseres: Não o soubemos, não o perceberá aquele que pesa os corações?

Não o saberá aquele que atenta para a tua alma?

E não pagará ele ao homem segundo as suas obras?

 

 

Os males dessa natureza fornecem, indubitavelmente, um notável contingente ao cômputo (contagem) das vicissitudes da vida.

O homem as evitará quando trabalhar por se melhorar moralmente, tanto quanto intelectualmente.

 

5. A lei humana atinge certas faltas e as pune.

Pode, então, o condenado reconhecer que sofre a consequência do que fez.

 

Mas a lei não atinge, nem pode atingir todas as faltas;

incide especialmente sobre as que trazem prejuízo à sociedade e não sobre as que só prejudicam os que as cometem.

 

Deus, porém, quer que todas as suas criaturas progridam e, portanto, não deixa impune qualquer desvio do caminho reto.

 

I Timóteo 2 : 4 – o qual deseja que TODOS os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.

 

 

Não há falta alguma, por mais leve que seja, nenhuma infração da sua lei, que não acarrete forçosas e inevitáveis consequências, mais ou menos deploráveis.

 

Daí se segue que, nas pequenas coisas, como nas grandes,

o homem é sempre punido por aquilo em que pecou.

 

Romanos 2: 6 – que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento:

 

Romanos 14: 12 – Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.

 

 

Os sofrimentos que decorrem do pecado são-lhe uma advertência de que procedeu mal.

Dão-lhe experiência, fazem-lhe sentir a diferença existente entre o bem e o mal e a necessidade de se melhorar para, de futuro, evitar o que lhe originou uma fonte de amarguras;

sem isso, motivo não haveria para que se emendasse.

Confiante na impunidade, retardaria seu avanço e, consequentemente, a sua felicidade futura.

 

Entretanto, a experiência, algumas vezes, chega um pouco tarde: quando a vida já foi desperdiçada e turbada;

quando as forças já estão gastas e sem remédio o mal.

 

Põe-se então o homem a dizer: “Se no começo dos meus dias eu soubera o que sei hoje, quantos passos em falso teria evitado!

Se houvesse de recomeçar, conduzir-me-ia de outra maneira.

No entanto, já não há mais tempo !

” Como o obreiro preguiçoso, que diz: “Perdi o meu dia”, também ele diz: “Perdi a minha vida”.

 

Contudo, assim como para o obreiro o Sol se levanta no dia seguinte, permitindo-lhe neste reparar o tempo perdido,

também para o homem, após a noite do túmulo, brilhará o Sol de uma nova vida,

em que lhe será possível aproveitar a experiência do passado e suas boas resoluções para o futuro.

 

Isaías 26 : 19 – Os vossos mortos e também o meu cadáver viverão e ressuscitarão;

despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho, ó Deus, será como o orvalho de vida,

e a terra dará à luz os seus mortos.

 

 

Livro : Filosofia Espírita  XIII –  Capítulo 51Espírito MiramezPsicografado por João Nunes Maiaitem 663.

 

663/LE

 

PODER DA PRECE

 

As preces não podem mudar todos os destinos humanos, contudo, ela tem forças descomunais que os próprios homens desconhecem.

 

Marcos 9 : 23 – Ao que lhe respondeu Jesus:

Se podes! Tudo é possível ao que crê.

 

Lucas 18 : 27 – Mas ele respondeu:

Os impossíveis dos homens são possíveis para Deus.

 

 

A oração, pelo modo que ensinou Jesus, pelo exemplo, é um transformador espiritual das vidas;

quem sabe orar, sabe viver bem.

 

A prece traz para junto de nós os Espíritos elevados, desde quando sejam elevados os nossos sentimentos.

 

Convém ao Espírito, encarnado ou não, estudar a força da oração, exercitar-se na prece diariamente, até dominar as forças que pode atrair com ela, mas sempre em trabalho digno.

Não se brinca com as forças divinas em expansão no Universo, mas que emanam do próprio Deus, na luz do Seu amor.

 

Quando se sabe orar, mesmo que seja em favor de alguém que sofre, o mais beneficiado é quem ora, recebendo assistência dos bons Espíritos, e na transfusão de trocas superiores, a energia que se acumula pela oração, cura, alegra e nos encaminha para uma vida melhor.

 

O ajuda-te a ti mesmo e o Céu te ajudará é verdade que ilumina os de boa vontade.

 

Precisamos conhecer a nós mesmos, e isso somente o tempo nos pode ensinar com proveito.

A nós foi dada a razão, e esse raciocínio deve ser usado em busca da nossa felicidade, que não anda muito longe, ao alcance da nossa mão e, por certo, dentro de nós mesmos.

 

Quem busca o céu no exterior, sempre sofre o trabalho da busca sem proveito.

 

Quem desejar o céu, que comece a mudar por dentro,

 

conforme nos ensina o Evangelho de Jesus, que ao seu redor, como que por encanto, tudo passará a se transformar

e o céu que tanto procurava no exterior surgirá em sua consciência,

e não só ele, mas Deus e Cristo, a lhe ensinar as primeiras letras do alfabeto divino.

 

II Coríntios 5 : 17 – E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura;

as coisas antigas já passaram;

eis que se fizeram novas.

 

 

Efésios 4 : 22 – 25

22  no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano,

 

23  e vos renoveis no espírito do vosso entendimento,

 

24  e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.

 

25  Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros.

 

 

Tornamos a dizer, sem atropelos no raciocínio,

que deves conhecer Jesus,

estudar Jesus,

respirar Jesus

e amar a Jesus,

pois, Ele é o alimento de todas as criaturas radicadas na Terra.

 

 

João 14 : 6 – Respondeu-lhe Jesus:

Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida;

ninguém vem ao Pai senão por mim.

 

João 6 : 35 – Declarou-lhes, pois, Jesus:

Eu sou o pão da vida;

o que vem a mim jamais terá fome;

e o que crê em mim jamais terá sede.

 

 

Muitos dizem que Ele nos deixou e foi embora.

Como se enganam esses que assim pensam !

 

Escuta o que Ele mesmo falou, anotado no Evangelho por João, no capítulo catorze, versículo vinte e oito :

Ouvistes o que Eu vos disse :

Vou e volto para junto de vós;

se me amásseis, alegrar-vos-íeis, de que Eu vá para o Pai,

pois o Pai é MAIOR do que eu.

 

 

Não disse o Mestre que voltaria para junto de nós ?

Por que não confiar na Sua palavra ?

Nunca Ele nos enganou, e na verdade Ele já voltou, e a humanidade não conheceu a Sua volta.

 

Ele veio por intermédio da Doutrina dos Espíritos e aí se encontra derramando para todo o Seu rebanho a palavra de amor e de sabedoria, palavras que ajudam, que consolam e instruem.

 

João 14 : 26 – mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome,

esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.

 

 

João 16 : 12 – 14

12  Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora;

 

13  quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade;

porque não falará por si mesmo,

mas dirá tudo o que tiver ouvido

e vos anunciará as coisas que hão de vir.

 

14  Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

 

 

Para que, a Sua volta pessoal, se já temos, todas as criaturas, a Sua presença, por intermédio dos Seus agentes mais categorizados,

dando pão a quem tem fome, vestindo os nus, levantando os caídos, amparando os estropiados, visitando os enfermos e dando esperança aos encarcerados ?

 

Mateus 25 : 33 – 40

33  e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda;

34  então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita:

Vinde, benditos de meu Pai!

Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.

 

35  Porque tive fome, e me destes de comer;

tive sede, e me destes de beber;

era forasteiro, e me hospedastes;

36  estava nu, e me vestistes;

enfermo, e me visitastes;

preso, e fostes ver-me.

 

37  Então, perguntarão os justos:

Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer?

Ou com sede e te demos de beber?

 

38  E quando te vimos forasteiro e te hospedamos?

Ou nu e te vestimos?

39  E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar?

 

40  O Rei, respondendo, lhes dirá:

Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.

 

 

Quanto a muitos que se apegam a velhas filosofias, que o tempo e o progresso deixaram para trás, e que desejam afirmativas mais presas ao passado, afirmamos-lhes que o Cristo já era antes que todos eles fossem, e a Sua doutrina é a mais pura de todos os tempos.

 

Os sábios e profetas que O antecederam para instruir os homens, foram todos, sem exceção, enviados por Ele, para depois Ele mesmo vir com a Sua pureza, como veio, a nos confortar e nos dar maior esperança para viver.

 

Respondeu-lhes Jesus :

Em verdade, em verdade, vos digo :

Antes que Abraão existisse, eu Sou. (João 8 : 58)

 

De que precisamos mais, para reconhecermos que o Cristo em Jesus é o Guia da humanidade desde o princípio da formação da Terra ?

 

Mateus 23 : 10 – Nem sereis chamados guias, porque um só é vosso Guia, o Cristo.

 

 

A humanidade se encontra em duras provas;

não vamos mudar seu destino, mas podemos aliviar as provas, se soubermos orar.

 

Mateus 6 : 9 – 15

Portanto, vós orareis assim:

Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome;

 

10  venha o teu reino;

faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu;

 

11  o pão nosso de cada dia dá-nos hoje;

 

12  e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores;

 

13  e não nos deixes cair em tentação;

mas livra-nos do mal pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!

 

14  Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará;

 

15  se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: