LEIS MORAIS – LEI DA ADORAÇÃO – 666 – A PRECE – Pode-se orar aos Espíritos ?

15 fev

LEIS MORAISLEI DA ADORAÇÃO666A PRECEPode-se orar aos Espíritos ?

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraLeis MoraisCapítulo IILei da AdoraçãoA PRECEitem 666

 

666 Pode-se orar aos Espíritos?

Pode-se orar aos bons Espíritos como mensageiros de Deus e executores de Seus planos;

 

Hebreus 1 : 14 – Não são todos eles ESPÍRITOS ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

Hebreus 2 : 1 – 4

Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos.

 

Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo,

como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação?

A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;

 

dando Deus testemunho juntamente com eles, por sinais, prodígios e vários milagres e por distribuições do Espírito Santo, segundo a sua vontade.

 

 

mas o poder deles está na superioridade que tenham alcançado

e depende sempre do Senhor de todas as coisas, pois sem Sua permissão nada se faz;

 

por isso, as preces que lhes dirigimos, são somente eficazes, se são agradáveis a Deus.

 

 

Hebreus 6 : 3 –  Isso faremos, se Deus permitir.

 

 

Livro : Evangelho segundo o EspiritismoCapítulo XXVIIIColetânea de Preces EspíritasPRECES PESSOAISAos anjos guardiães e aos Espíritos protetores

 

Aos anjos guardiães e aos Espíritos protetores

11. PREFÁCIO.

Todos temos, ligado a nós, desde o nosso nascimento, um Espírito bom, que nos tomou sob a sua proteção.

 

Desempenha, junto de nós, a missão de um pai para com seu filho:

a de nos conduzir pelo caminho do bem e do progresso, através das provações da vida.

 

Sente-se feliz, quando correspondemos à sua solicitude;

sofre, quando nos vê sucumbir.

 

Romanos 8 : 26 – 27

26 Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza;

porque não sabemos orar como convém,

mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis.

 

27 E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos.

 

 

Seu nome pouco importa, pois bem pode acontecer que não tenha nome conhecido na Terra.

Invocamo-lo, então, como nosso anjo da guarda, nosso bom gênio.

Podemos mesmo invocá-lo sob o nome de qualquer Espírito superior, que mais viva e particular simpatia nos inspire.

 

Além do Anjo da guarda, que é sempre um Espírito superior, temos Espíritos protetores que, embora menos elevados, não são menos bons e generosos.

Contamo-los entre amigos, ou parentes, ou, até, entre pessoas que não conhecemos na existência atual.

Eles nos assistem com seus conselhos e, não raro, intervindo nos atos da nossa vida.

 

 

Livro : Filosofia Espírita  XIV –  Capítulo 2Espírito MiramezPsicografado por João Nunes Maiaitem 666.

 

666/LE

 

ORAR AOS ESPÍRITOS

 

É dever do ser humano orar buscando os Espíritos Superiores, agradecendo os benefícios recebidos deles e pedindo ajuda, desde quando o pedido seja submetido ao Todo Poderoso, e que tenha justa finalidade, em benefício coletivo, não ultrapassando as necessidades reais de cada um.

 

Aos Espíritos, mesmo os que se encontram na faixa dos seres angélicos, foram companheiros que já estiveram reencarnados na Terra ou em outros mundos, buscando o que hoje buscamos.

A distância que existe dos encarnados a eles é na ordem do tempo;

eles são mais velhos, no que tange à idade do Espírito, portanto, já estão livres da ignorância, e vivem no amor e pelo amor.

 

Eles são os agentes de Deus encarregados de socorrer os que sofrem, encarnados e desencarnados, e as suas funções são exercidas nos dois planos de vida.

 

Hebreus 1 : 14 –  Não são todos eles ESPÍRITOS ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

 

Já pensaste se os Espíritos sublimados fossem viver somente de contemplação, como se referem alguns religiosos, que esqueceram o valor do trabalho nos dois mundos ?

Disse Jesus: Meu Pai trabalha sempre e Eu opero constantemente.

 

 João 5 : 17 – Mas ele lhes disse: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.

 

Todos podem pedir, mas, receber fica sob a aquiescência (consentimento) de Deus;

Ele, somente Ele, decide se os Seus agentes podem nos conceder ou não o que pedimos.

 

Busquemos incansavelmente a reforma interna, verificando todos os sentimentos, fazendo uma seleção,

e passando a mudar a ordem dos pensamentos, de modo que eles se organizem com a consciência em Jesus.

 

Filipenses 4 : 8 – Finalmente, irmãos,

tudo o que é verdadeiro,

tudo o que é respeitável,

tudo o que é justo,

tudo o que é puro,

tudo o que é amável,

tudo o que é de boa fama,

se alguma virtude há e se algum louvor existe,

seja isso o que ocupe o vosso pensamento.

 

 

II Coríntios 5 : 17 – E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura;

as coisas antigas já passaram;

eis que se fizeram novas.

 

 

Efésios 4 : 22 – 24

22  no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem,

que se corrompe segundo as concupiscências (desejo intenso de bens ou gozos materiais)  do engano,

 

23  e vos renoveis no espírito do vosso entendimento,

 

24  e vos revistais do novo homem,

criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.

 

 

Nesse trabalho de ascensão (elevação), Deus sempre atenderá nossos pedidos.

Ele investe nos nossos trabalhos de auto-educação, concedendo-nos a paz, a saúde e a alegria.

 

Romanos 8 : 28 – Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

 

 

Os Espíritos Superiores têm dons despertados em todos os sentidos, e quando oramos com fé e sinceridade, emitimos ondas luminosas com poderes extraordinários, que chegam a eles com a mensagem do que solicitamos.

 

E essas almas redimidas sentem prazer em nos atender, pois essa é uma das suas funções, de fortalecer o ânimo dos que desejam trabalhar em favor da harmonia universal.

 

Jesus sempre falava aos Seus agentes de luz, como Marcos anotou no capítulo treze, versículo cinco :

Então, Jesus lhes respondendo, passou a dizer:

Vede que ninguém vos engane.

 

Marcos 13 : 1 – 6

1  Ao sair Jesus do templo, disse-lhe um de seus discípulos: Mestre! Que pedras, que construções!

Mas Jesus lhe disse: Vês estas grandes construções?

Não ficará pedra sobre pedra, que não seja derribada.

 

No monte das Oliveiras, defronte do templo, achava-se Jesus assentado, quando Pedro, Tiago, João e André lhe perguntaram em particular:

Dize-nos quando sucederão estas coisas, e que sinal haverá quando todas elas estiverem para cumprir-se.

 

Então, Jesus passou a dizer-lhes: Vede que ninguém vos engane.

Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu; e enganarão a muitos.

 

 

Marcos 13 : 21 – 23

21  Então, se alguém vos disser:

Eis aqui o Cristo!

Ou: Ei-lo ali!

Não acrediteis;

 

22  pois surgirão falsos cristos e falsos profetas, operando sinais e prodígios, para enganar, se possível, os próprios eleitos.

 

23  Estai vós de sobreaviso;

tudo vos tenho predito.

 

 

É preciso que os Espíritos Superiores estejam bem aparelhados nas suas sensibilidades espirituais, para conhecerem os seres humanos acostumados a enganarem, para que eles não se enganem nas solicitações extravagantes.

 

I João 4 : 1 – Amados, não deis crédito a qualquer espírito;

antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora.

 

 

Os Espíritos encarregados de andar com os homens na Terra os conhecem bem, no entanto, por vezes o amor maternal, ou de companheiros de muitas eras, pode ceder a coisas que em vez de ajudarem ao companheiro, podem piorar e fazê-lo sofrer mais,

mas, o anjo da guarda encarregado de guiar cada ser encarnado, em muito casos retifica o concedido, para que o tutelado não caia em novas tentações.

 

Os problemas, as dores, enfim, os infortúnios, são freios para os encarnados.

O que pensamos ser mal, são avisos para não cairmos no mal verdadeiro.

 

Aos espíritas, recomendamos sobre o que vão pedir:

não percam tempo em pedidos inúteis;

quando forem agraciados pela fortuna, que sejam justiceiros;

quando o saber bater às suas portas juntamente com a espiritualidade, que não se interessem por bens materiais,

e quando pobres, que busquem a riqueza quando necessário, mas com honestidade.

 

É bom que oremos pelos outros aos Espíritos puros, pedindo a eles que dêem à humanidade, acima de tudo, a compreensão espiritual.

 

 

Livro: PALAVRAS DE VIDA ETERNAEspírito EmmanuelPsicografado por Francisco Cândido Xavier Capítulo 151ROGAR

 

“…Não se faça a minha vontade, mas a tua.” (Lucas 22: 42)

 

É comum a alteração de votos que formulamos, de planos que fazemos.

Vários propósitos que se nos erigiam na alma, por anseios aflitivos do sentimento, caem, após realizados, nos domínios do trivial, dando lugar a novos anseios.

 

Petições que endereçamos à Vida Maior, em muitas ocasiões, quando atendidas, já nos encontram modificados por súplicas diferentes.

O que ontem era importante para nós, costuma descer para as linhas da vulgaridade e o que desprezávamos antigamente, não poucas vezes passa à condição de essencial.

 

Forçoso, desse modo, rogar com prudência as concessões da vida.

 

Poderes superiores velam por nossas necessidades, facultando-nos aquilo que nos é efetivamente proveitoso.

 

Em circunstâncias diversas, acontecimentos que nos parecem males, são bens que não chegamos a entender, de pronto, e basta analisar as ocorrências da vida para percebermos que muitas daquelas que se nos afiguram bens, resultam em males que nos dilapidam a consciência e golpeiam o coração.

 

Todos possuímos amigos admiráveis que se comovem à frente de nossas rogativas, empenhando influência e recurso por satisfazer-nos, prejudicando-se, frequentemente, em nome do amor, por nossa causa, de vez que nem sempre estamos habilitados a receber o que desejamos, no que se refere a conforto e vantagem.

 

Aprendamos, assim, a trabalhar, esperando pelos desígnios da Justiça Divina sobre os nossos impulsos.

 

Importante lembrar que o próprio Cristo, na fidelidade a Deus, foi constrangido também a dizer :

“Pai, não se faça a minha vontade, mas a tua.”

 

Lucas 22 : 41 – 43

41  Ele, por sua vez, se afastou, cerca de um tiro de pedra, e, de joelhos, orava,

 

42  dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice;

contudo, não se faça a minha vontade, e sim a tua.

 

43  Então, lhe apareceu um anjo do céu que o confortava.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: