Arquivo | CRISTIANISMO E ESPIRITISMO RSS feed for this section

LEIS MORAIS – LEI DO TRABALHO – 682 – Limite do Trabalho – Repouso

14 out

LEIS MORAISLEI DO TRABALHO682Limite do Trabalho – Repouso

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraLeis MoraisCapítulo IIILei do TrabalhoLimite do Trabalho – Repousoitem 682

Limite do Trabalho – Repouso

682. Sendo uma necessidade para todo aquele que trabalha, o repouso não é também uma lei da Natureza ?

 

Sem duvida o repouso serve para reparar as forças do corpo,

e também é necessário para deixar um pouco mais de liberdade à inteligência, que deve elevar-se acima da matéria.

 

Salmos 4 : 8 – Em paz me deito e logo pego no sono,

porque, SENHOR, só tu me fazes repousar seguro.

 

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte SegundaCapítulo VIIIDa Emancipação da AlmaO sono e os sonhos.

 

O sono e os sonhos

 

400. O Espírito encarnado permanece voluntariamente no envoltório corporal?

 

É como se perguntar ao prisioneiro se está satisfeito no cárcere.

O Espírito encarnado aspira constantemente à sua libertação,

e tanto mais deseja ver-se livre do seu invólucro, quanto mais grosseiro é este.

 

Filipenses 1 : 21 – 24

21 Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro.

 

22 Entretanto, se o viver na carne traz fruto para o meu trabalho,

já não sei o que hei de escolher.

 

23 Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo,

o que é incomparavelmente melhor.

 

24 Mas, por vossa causa, é mais necessário permanecer na carne.

 

 

401. Durante o sono, a alma repousa como o corpo?

 

Não, o Espírito jamais fica inativo.

Durante o sono, os laços que o unem ao corpo se afrouxam e o corpo não necessita do Espírito.

Então, ele se lança pelo espaço e entra em relação mais direta com os outros Espíritos.

 

Eclesiastes 12 : 6 – 7

6 antes que se rompa o fio de prata, e se despedace o copo de ouro, e se quebre o cântaro junto à fonte, e se desfaça a roda junto ao poço,

7 e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.

 

 

Jó 33 : 14 – 16

14  Pelo contrário, Deus fala de um modo, sim, de dois modos,

mas o homem não atenta para isso.

 

15  Em sonho ou em visão de noite,

quando cai sono profundo sobre os homens, quando adormecem na cama,

 

16  então, lhes abre os ouvidos e lhes sela a sua instrução,

 

 

402. Como podemos julgar da liberdade do Espírito durante o sono?

 

Pelos sonhos.

 

Sabei que, quando o corpo repousa, o Espírito dispõe de mais faculdades que no estado de vigília.

Tem a lembrança do passado e, às vezes, a previsão do futuro;

adquire mais poder e pode entrar em comunicação com os outros espíritos, seja deste mundo, seja de outro.

 

Frequentemente dizes: “Tive um sonho bizarro, um sonho horrível, mas absolutamente, inverossímil.”.

Enganas-te.

 

É quase sempre uma lembrança de lugares e de coisas que viste ou que verás numa outra existência ou em outra ocasião.

O corpo estando adormecido, o Espírito trata de quebrar as suas cadeias para investigar no passado ou no futuro.

 

Pobres homens, que mal conheceis os mais vulgares fenômenos da vida!

Acreditais ser muito sábios, e as coisas mais vulgares vos confundem.

A esta pergunta de todas as crianças: “O que é que fazemos quando dormimos;

o que são os sonhos?”, ficais sem resposta.

 

O sono liberta parcialmente a alma do corpo.

Quando o homem dorme, se acha por algum tempo no estado em que estará de maneira permanente após a morte.

 

Tiveram sonos inteligentes os Espíritos, que desencarnando, logo se desligam da matéria.

Esses Espíritos, quando dormem, procuram a sociedade dos que lhes são superiores: viajam, conversam e se instruem com eles.

 

Trabalham mesmo em obras que encontram concluídas, ao morrer.

 

Destes fatos deveis aprender, uma vez mais, a não ter medo da morte,

pois morreis todos os dias, segundo a expressão de um santo.

 

 

Mateus 1 : 20 – Enquanto ponderava nestas coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo:

José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo.

 

Mateus 2 : 12 –  Sendo por divina advertência (os reis magos) prevenidos em sonho para não voltarem à presença de Herodes, regressaram por outro caminho a sua terra.

 

 

Livro : O passe espíritaLuiz Carlos de M. Gurgel. 5.ed.Rio de Janeiro: FEB,2006 – PT.3, Cap.3Repouso.

 

Passe espírita : Imposição de mãos

 

Marcos 8 : 25 – Então, novamente lhe pôs as mãos nos olhos,

e ele, passando a ver claramente, ficou restabelecido;

e tudo distinguia de modo perfeito.

 

I Timóteo 4 : 14 – Não te faças negligente para com o dom que há em ti,

o qual te foi concedido mediante profecia,

com a imposição das mãos do presbitério.

 

 

O repouso é exigência natural do organismo a qual ninguém pode ignorar sem sujeitar-se a graves consequências.

Por seu intermédio é que se acumulam as energias que serão utilizadas mais tarde.

 

O sono, de todas as formas de repouso, é a mais completa.

O metabolismo da organização física é reduzido,

o sistema muscular pouco acionado

 

e o Espírito, relativamente dispensado das exigências do corpo físico,

pode, através da liberdade temporariamente reconquistada,

readquirir forças que o impulsionarão diante dos desafios que a vida no plano material certamente colocará diante de si.

 

A falta de períodos adequados de repouso – sono principalmente

– pode desgastar de tal forma o organismo humano,

a ponto de provocar reduções consideráveis no próprio período de vida corpórea,

constituindo-se, consequentemente, numa forma de verdadeiro suicídio paulatino.

 

O repouso exagerado é também totalmente inconveniente,

pois caracteriza um desperdício do tempo colocado ao nosso dispor para vivenciarmos a experiência reencarnatória.

A virtude, como sempre, está no equilíbrio.

 

Provérbios 20 : 13 – Não ames o sono, para que não empobreças; abre os olhos e te fartarás do teu próprio  pão   

 

 

Livro : Filosofia Espírita  XIV –  Capítulo 19Espírito MiramezPsicografado por João Nunes Maia item 682.

 

 

682/LE

 

REPOUSO

 

Quem trabalha deve obedecer aos limites que a Natureza impõe ao esforço.

O corpo precisa de descanso para recuperar as energias perdidas.

 

Compete ao homem analisar sua capacidade,

e as próprias leis da Terra se inspiraram nesses limites,

dividindo as vinte e quatro horas em três aspectos : trabalho, lazer e descanso.

 

Quem desejar sair dessa disciplina pagará caro, desequilibrando a sua saúde.

Precisamos ficar atentos ao egoísmo e à usura,

para que não caiamos nas tentações

e venhamos a sofrer as más consequências.

 

 

Eclesiastes 2 : 23 – 24

22 Pois que tem o homem de todo o seu trabalho e da fadiga do seu coração, em que ele anda trabalhando debaixo do sol?

23 Porque todos os seus dias são dores, e o seu trabalho, desgosto;

até de noite não descansa o seu coração;

também isto é vaidade.

 

 

A filosofia do trabalho é divina,

a do lazer é grandiosa

e a do descanso pelo sono é uma necessidade,

para que as criaturas possam ter mais alegria e esperança de viver.

 

A sociedade atual, com as suas sofisticações, por vezes se esquece do mandamento que veio da época de Moisés, do dever dos filhos para com os pais, e desses para com os filhos.

Muitas famílias esquecem os seus esteios familiares, às vezes colocando-os à distância, para ficarem livres do que eles acham ser aborrecimentos, esquecendo o dever firmado na consciência.

 

Êxodo 20 : 12 – Honra teu pai e tua mãe,

para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá.

 

 

A Natureza marca para todos o limite do trabalho, contudo, não podemos nos esquecer de trabalhar no que ela pede do nosso esforço de cada dia.

 

O velhinho de cabelos brancos que passa na rua pede nossa cooperação;

e qual a diferença dele para com o nosso pai ?

 

As vidas sucessivas podem nos dizer que ele já foi nosso tutor em outra época.

Quem se interessa pelos seus pais de sangue, estende esse interesse para todos os outros pais, mesmo que lhe sejam desconhecidos.

 

Os asilos são organizados para os que passam pela provação de não terem um lar.

As creches espalhadas pela nação afora, igualmente têm a missão de amparar aos órfãos.

 

Se podemos ajudar essas casas de caridade, façamo-lo com carinho, sem esquecer nossa visita periódica.

 

Tiago 1 : 27 – A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta:

visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações

e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.

 

 

Tanto a inércia como o trabalho com exagero nos fazem mal, nos dois planos de vida.

Cuidado com os extremos!

É onde prolifera o vírus do desequilíbrio.

 

 

Devemos anotar e não esquecer o que nos diz o apóstolo Pedro, em sua epístola, no capítulo cinco, versículo oito :

 

Sede sóbrios e vigilantes.

 

O diabo, vosso adversário, anda em derredor,

como o leão que ruge,

procurando alguém para devorar.

 

 

O diabo, que podemos entender neste dizer de Pedro, são os Espíritos ainda ignorantes,

e a ignorância está, de certo modo, ligada à preguiça,

por desconhecer o valor do trabalho.

 

Quanto mais pensarmos nas facilidades, mais atraímos entidades deste jaez (espécie),

que nos inspiram nos dois planos de vida para todos os tipos de desequilíbrios.

 

Nos intervalos dos nossos pensamentos,

os Espíritos menos esclarecidos transmitem vibrações dos seus desejos.

 

Os pensamentos são portas que se abrem para o bem e para o mal,

dependendo dos nossos sentimentos,

nas suas qualidades inerentes à nossa evolução.

 

 

Filipenses 4 : 8 – Finalmente, irmãos,

tudo o que é verdadeiro,

tudo o que é respeitável,

tudo o que é justo,

tudo o que é puro,

tudo o que é amável,

tudo o que é de boa fama,

se alguma virtude há e se algum louvor existe,

seja isso o que ocupe o vosso pensamento.

 

 

No entanto, a razão pode nos defender,

se ela estiver atenta, vigilante contra a emboscada das trevas.

 

Mateus 26 : 41 – Vigiai e orai, para que não entreis em tentação;

o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.

 

 

I Pedro 3 : 15 – antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração,

estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós,

 

 

O Espiritismo nos informa desses perigos,

bem como nos fornece meios e armas de lutar contra eles com sabedoria,

mudando a nossa conduta como nos deu exemplo Nosso Senhor Jesus Cristo.

 

 

II Coríntios 5 : 17 – E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura;

as coisas antigas já passaram;

eis que se fizeram novas.

 

 

Efésios 4 : 22 – 24

22  no sentido de que, quanto ao trato passado,

vos despojeis do velho homem,

que se corrompe segundo as concupiscências do engano,

 

23  e vos renoveis no espírito do vosso entendimento,

 

24 e vos revistais do novo homem,

criado segundo Deus,

em justiça e retidão procedentes da verdade.

 

 

Colossenses 3 : 8 – 14

Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto:

ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar.

 

Não mintais uns aos outros,

uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos

 

10  e vos revestistes do novo homem

que se refaz para o pleno conhecimento,

segundo a imagem daquele que o criou;

 

11  no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre;

porém Cristo é tudo em todos.

 

12  Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados,

de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade.

 

13  Suportai-vos uns aos outros,

perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem.

 

Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós;

 

14  acima de tudo isto, porém,

esteja o amor, que é o vínculo da perfeição.

 

 

Nós somos o que buscamos, pelos pensamentos, palavras e atos.

 

Se usarmos a inteligência vinculada ao coração,

passaremos a buscar com Jesus as companhias iluminadas,

onde a verdade é a luz que nos tornará livres.

 

João 8 : 31 – 32

31 Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele:

Se vós permanecerdes na minha palavra,

sois verdadeiramente meus discípulos;

 

32  e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. 

 

 

Devemos saber o limite tanto do trabalho como do lazer

e, por conseguinte, do descanso, nas linhas do sono reparador.

 

 

Salmos 3 : 5 – Deito-me e pego no sono;

acordo, porque o SENHOR me sustenta.

 

 

Salmos 4 : 8 – Em paz me deito e logo pego no sono,

porque, SENHOR, só tu me fazes repousar seguro.

 

Anúncios

LEIS MORAIS – LEI DO TRABALHO – 681– NECESSIDADE DO TRABALHO – A lei da Natureza impõe aos filhos a obrigação de trabalhar para os pais?

2 out

LEIS MORAISLEI DO TRABALHO – 681NECESSIDADE DO TRABALHO

A lei da Natureza impõe aos filhos a obrigação de trabalhar para os pais?

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraLeis MoraisCapítulo IIILei do TrabalhoNecessidade do Trabalho item 681

 

681. A lei da Natureza impõe aos filhos a obrigação de trabalhar para os pais?

 

     — Certamente, como os pais devem trabalhar para os filhos.

Eis porque Deus fez do amor filial e do amor paterno um sentimento natural,

afim de que, por essa afeição recíproca,

os membros de uma mesma família sejam levados a se auxiliarem mutuamente.

 

É o que, com muita frequência, não se reconhece em vossa atual sociedade. (Ver item 205.)

 

Salmos 127 : 3 – Herança do SENHOR são os filhos;

o fruto do ventre, seu galardão.

 

 

Provérbios 4 : 1 – 13

Ouvi, filhos, a instrução do pai e estai atentos para conhecerdes o entendimento;

porque vos dou boa doutrina;

não deixeis o meu ensino.

 

Quando eu era filho em companhia de meu pai, tenro e único diante de minha mãe,

então, ele me ensinava e me dizia:

Retenha o teu coração as minhas palavras;

guarda os meus mandamentos e vive;

 

adquire a sabedoria,

adquire o entendimento

e não te esqueças das palavras da minha boca, nem delas te apartes.

 

Não desampares a sabedoria, e ela te guardará;

ama-a, e ela te protegerá

 

O princípio da sabedoria é:

Adquire a sabedoria;

sim, com tudo o que possuis, adquire o entendimento.

 

Estima-a, e ela te exaltará;

se a abraçares, ela te honrará;

dará à tua cabeça um diadema de graça e uma coroa de glória te entregará.

 

10  Ouve, filho meu, e aceita as minhas palavras,

e se te multiplicarão os anos de vida.

 

11  No caminho da sabedoria, te ensinei

e pelas veredas da retidão te fiz andar.

 

12 Em andando por elas, não se embaraçarão os teus passos;

se correres, não tropeçarás.

 

13  Retém a instrução e não a largues;

guarda-a, porque ela é a tua vida.

 

 

Provérbios 10 : 1 – Provérbios de Salomão.

O filho sábio alegra a seu pai,

mas o filho insensato é a tristeza de sua mãe.

 

Provérbios 17 : 6 – Coroa dos velhos são os filhos dos filhos;

e a glória dos filhos são os pais.

 

Provérbios 29 : 17 – Corrige o teu filho, e te dará descanso,

dará delícias à tua alma.

 

 

Efésios 6 : 1 – 3

Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo.

Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa,

para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.

 

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte SegundaCapítulo IVDa Pluralidade das ExistênciasParentesco e Filiação – itens 205 e 205 a.

 

Parentesco e Filiação

 

205. Segundo certas pessoas, a doutrina da reencarnação parece destruir os laços de família, fazendo-as remontar às existências anteriores.

 

 — Ela os amplia, em vez de destruí-los.

Baseando-se o parentesco em afeições anteriores, os laços que unem os membros de uma mesma família são menos precários.

 

A reencarnação amplia os deveres da fraternidade,

pois no vosso vizinho ou no vosso criado

pode encontrar-se um Espírito que foi do vosso sangue.

 

 

João 13 : 34 – Novo mandamento vos dou:

que vos ameis uns aos outros;

assim como eu vos amei,

que também vos ameis uns aos outros.

 

 

João 15 : 12 – O meu mandamento é este:

que vos ameis uns aos outros,

assim como eu vos amei.

 

 

 205 a) Ela diminui, entretanto, a importância que alguns atribuem à sua filiação, porque se pode ter tido como pai um Espírito que pertencia a uma outra raça, ou que tivesse vivido em condição bem diversa.

 

 — É verdade; mas essa importância se baseia no orgulho.

 

O que a maioria honra nos antepassados são os títulos, a classe, a fortuna.

Este coraria de haver tido por avô  um  sapateiro honesto, e se vangloriaria de descender de um nobre debochado.

 

Mas digam ou façam o que quiserem, não impedirão que as coisas sejam como são,

porque Deus não regulou as leis da Natureza pela nossa vaidade.

 

 

I Timóteo 6 : 17 – 18

17  Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos,

nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza,

mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento;

 

18 que pratiquem o bem,

sejam ricos de boas obras,

generosos em dar

e prontos a repartir;

 

 

Livro : O Evangelho segundo o EspiritismoCapítulo XIVHONRA A TEU PAI E TUA MÃEPIEDADE FILIALitens  1 – 3 ; 5 ; 8.

 

Piedade Filial

1 – Sabes os mandamentos:

não cometas adultérios;

não mates;

não furtes;

não digas falso testemunho;

não cometas fraudes;

honra a teu pai e a tua mãe

(Marcos, X: 19; Lucas, XVIII: 20; Mateus, XIX: 19).

 

2 – Honra a teu pai e a tua mãe,

para teres uma dilatada vida sobre a Terra que o Senhor teu Deus te há de dar. (Decálogo, Êxodo, XX: 12)

 

PIEDADE FILIAL

 

3 – O mandamento: “Honra a teu pai e a tua mãe”, é uma consequência da lei geral da caridade e do amor ao próximo, porque não se pode amar ao próximo sem amar aos pais;

mas o imperativo honra implica um dever a mais para com eles:

o da piedade filial.

 

Deus quis demonstrar, assim, que ao amor é necessário juntar o respeito, a estima, a obediência e a condescendência,

o que implica a obrigação de cumprir para com eles, de maneira mais rigorosa, tudo o que a caridade determina em relação ao próximo.

 

Esse dever se estende naturalmente às pessoas que se encontram no lugar dos pais, e cujo mérito é tanto maior, quanto o devotamento é para elas menos obrigatório.

Deus pune sempre de maneira rigorosa toda violação desse mandamento.

 

Honrar ao pai e à mãe não é somente respeitá-los,

mas também assisti-los nas suas necessidades;

proporcionando-lhes o repouso na velhice;

cercá-los de solicitude, como eles fizeram por nós na infância.

 

É sobretudo para com os pais sem recursos que se demonstra a verdadeira piedade filial.

 

Satisfariam a esse mandamento os que julgam fazer muito,

aos lhes darem o estritamente necessário para que não morram de fome,

enquanto eles mesmos de nada se privam?

 

Relegando-os aos piores cômodos da casa, apenas para não deixá-los na rua, e reservando para si mesmos os melhores aposentos, os mais confortáveis?

E ainda bem quando tudo isso não é feito de má vontade, sendo os pais obrigados a pagar o que lhes resta da vida com a carga dos serviços domésticos!

É então justo que pais velhos e fracos tenham de servir a filhos jovens e fortes?

 

A mãe lhe teria cobrado o leite, quando ainda estavam no berço?

Teria, por acaso, contado as suas noites de vigília, quando eles ficavam doentes, os seus passos para proporcionar-lhes o cuidado necessário?

 

Não, não é só o estritamente necessário que os filhos devem aos pais pobres,

mas também, tanto quanto puderem, as pequenas alegrias do supérfluo,

as amabilidades, os cuidados carinhosos, que são apenas os juros do que receberam, o pagamento de uma dívida sagrada.

Essa, somente, é a piedade filial aceita por Deus.

 

Infeliz, portanto, aquele que se esquece da sua dívida para os que o sustentaram na infância,

os que, com a vida material, lhe deram também a vida moral, 

que frequentemente se impuseram duras privações para lhe assegurar o bem-estar!

 

Ai do ingrato, porque ele será punido pela ingratidão e o abandono;

será ferido nas suas mais caras afeições, às vezes desde a vida presente,

mas de maneira certa noutra existência, em que terás de sofrer o que fez os outros sofrerem!

 

 

Certos pais, é verdade, descuidam dos seus deveres, e não são para os filhos o que deviam ser.

Mas é a Deus que compete puni-los, e não aos filhos.

Não cabe a estes censurá-los, pois que talvez eles mesmos fizeram por merecê-los assim.

 

Se a caridade estabelece como lei que devemos pagar o mal com o bem,

ser indulgentes para as imperfeições alheias,

não maldizer do próximo,

esquecer e perdoar as ofensas,

e amar até mesmo os inimigos,

quanto essa obrigação se faz ainda maior em relação aos pais!

 

Os filhos, devem, por isso mesmo, tomar como regra de conduta para com os pais todos os preceitos de Jesus referentes ao próximo,

e lembrar que todo procedimento condenável em relação aos estranhos, mais condenável se torna para com os pais.

 

Devem lembrar que aquilo que no primeiro caso seria apenas uma falta, pode tornar-se um crime no segundo,

porque, neste, à falta de caridade se junta à ingratidão.

 

 

Quem É Minha Mãe e Quem São Meus Irmãos?

5 – E vieram à casa; e concorreu de novo tanta gente, que nem mesmo podiam tomar o alimento.

— E quando isto ouviram os seus, saíram para o prender; porque diziam: Ele está furioso. 

E chegaram sua mãe e seus irmãos, e ficando da parte de fora, o mandaram chamar.

— Estava sentado à roda de um crescido número de gente, e lhe disseram: Olha que tua mãe e teus irmãos te buscam aí fora.

 

E ele respondeu, dizendo: Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?

— E olhando para os que estavam sentados à roda de si: Eis aqui, lhes disse, minha mãe e  meus irmãos.

 

Porque o que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã e minha mãe.

(Marcos, III: 31-35 – Mateus, XII: 46-50).

 

 

Parentesco Corporal e Espiritual

8 – Os laços de sangue não estabelecem necessariamente os laços espirituais.

 

O corpo procede do corpo,

mas o Espírito não procede do Espírito,

porque este existia antes da formação do corpo.

 

O pai não gera o Espírito do filho: fornece-lhe apenas o envoltório corporal.

Mas deve ajudar seu desenvolvimento intelectual e moral, para o fazer progredir.

 

 

João 3 : 5 – 7

Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo:

quem não nascer da água e do Espírito

não pode entrar no reino de Deus.

 

O que é nascido da carne é carne;

e o que é nascido do Espírito é espírito.

 

Não te admires de eu te dizer:

importa-vos nascer de novo.

 

 

Jeremias 1 : 5 – Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci,

e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações.

 

Gálatas 1 : 15 – Quando, porém, ao que me separou antes de eu nascer e me chamou pela sua graça, aprouve….

 

 

Os Espíritos que se encarnam numa mesma família, sobretudo como parentes próximos,

são os mais frequentemente Espíritos simpáticos,

ligados por relações anteriores, que se traduzem pela afeição durante a vida terrena.

 

Mas pode ainda acontecer que esses Espíritos sejam completamente estranhos uns para os outros,

separados por antipatias igualmente anteriores,

que se traduzem também por seu antagonismo na Terra, a fim de lhes servir de prova.

 

Gênesis 25 : 21 – 24

21 Isaque orou ao SENHOR por sua mulher, porque ela era estéril;

e o SENHOR lhe ouviu as orações, e Rebeca, sua mulher, concebeu.

 

22 Os filhos lutavam no ventre dela;

então, disse: Se é assim, por que vivo eu? E consultou ao SENHOR.

 

23  Respondeu-lhe o SENHOR: Duas nações há no teu ventre, dois povos, nascidos de ti, se dividirão:

um povo será mais forte que o outro, e o mais velho servirá ao mais moço.

 

24  Cumpridos os dias para que desse à luz, eis que se achavam gêmeos no seu ventre.

 

 

Os verdadeiros laços de família não são, portanto, os da consanguinidade,

mas os da simpatia e da comunhão de pensamentos, que unem os Espíritos, antes, durante e após a encarnação.

 

Donde se segue que dois seres nascidos de pais diferentes podem ser mais irmãos pelo Espírito, do que se o fossem pelo sangue.

Podem, pois, atrair-se, procurar-se, tornarem-se amigos, enquanto dois irmãos consanguíneos podem repelir-se, como vemos todos os dias.

 

Problema moral, que só o Espiritismo podia resolver, pela pluralidade das existências.

(Ver cap. IV, nº 13)

 

Há, portanto, duas espécies de famílias:

as famílias por laços espirituais

e as famílias por laços corporais.

 

As primeiras, duradouras, fortificam-se pela purificação e se perpetuam no mundo dos Espíritos, através das diversas migrações da alma.

 

As segundas, frágeis como a própria matéria, extinguem-se com o tempo, e quase sempre se dissolvem moralmente desde a vida atual.

 

Foi o que Jesus quis fazer compreender, dizendo aos discípulos: “Eis minha mãe e meus irmãos”,

ou seja, a minha família pelos laços espirituais,

pois “quem quer que faça a vontade de meu Pai, que está nos céus, é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

 

A hostilidade de seus irmãos está claramente expressa no relato de São Marcos, desde que, segundo este, eles se propunham a apoderar-se dele, sob o pretexto de que perdera o juízo.

Avisado de que haviam chegado, e conhecendo o sentimento deles a seu respeito, era natural que dissesse, referindo-se aos discípulos, em sentido espiritual: “Eis os meus verdadeiros irmãos”.

 

Sua mãe os acompanhava, e Jesus generalizou o ensino, o que absolutamente não implica que ele pretendesse que sua mãe segundo o sangue nada lhe fosse segundo o Espírito, só merecendo a sua indiferença.

 

Sua conduta, em outras circunstâncias, provou suficientemente o contrário.

 

 

Livro : Filosofia Espírita  XIV –  Capítulo 18Espírito MiramezPsicografado por João Nunes Maiaitem 681.

 

681/LE

 

FILHOS E PAIS

 

Os pais têm a obrigação de cuidarem de seus filhos, pois a eles foi outorgado esse dever,

de modo que suas consciências os ativam para tal empenho divino,

de educar e instruir seus descendentes.

 

Por outro lado, os filhos têm o dever sagrado de cuidar de seus pais, quando estes já são idosos ou estejam presos ao leito por uma enfermidade.

 

É uma troca de auxílio, para o bem e a tranquilidade de consciência de todos.

 

Toda a família, por dever natural que a lei nos mostra, deve ocupar-se na ajuda indispensável aos familiares,

para que haja ordem no grupo de Espíritos que reencarnam em uma mesma linha de sangue.

O amor filial vibra por dentro, assim como o amor paterno,

e os dois se encontram em obediência à lei de amor universal.

 

O qual te dirá palavras mediante as quais serás salvo, tu e toda a tua casa. (Atos 11 : 14)

 

É Jesus incentivando a todos os familiares para ouvirem Pedro, com suas palavras de amor e de dever perante os seus, aqueles que vivem em conjunto.

Assim que os preceitos do Mestre fossem colocados em prática, a casa seria salva de todas as confusões do dia-a-dia.

 

O nosso dever maior é ouvir a Deus pela boca de Jesus,

e colocar harmonia em nossas casas, tanto espiritual como física.

 

Os pais precisam ser educados, de maneira a compreender seus deveres;

seus filhos o são somente, no sentido da carne.

 

O Espírito é filho de Deus, que instituiu tutores, para que sirvam de instrumento no amparo e na disciplina, no afã de instruir igualmente.

 

Se os pais querem filhos nobres, que busquem a nobreza para si,

e poderão ajudar mais aos seus filhos, pelo exemplo vivo na vivência da carne.

 

Isaías 32 : 8 – Mas o nobre projeta coisas nobres e na sua nobreza perseverará.

 

 

Os membros de uma família são sempre impelidos para se ajudarem mutuamente, pela força do amor que impulsiona os corações.

 

Essa é a fraternidade, alinhando sentimentos

e fazendo compreender a todos que,

no amanhã compreenderão que,

a humanidade constitui uma só família,

e Deus um só Pai de todas as criaturas.

 

 

João 17 : 11 e 21

11 Já não estou no mundo, mas eles continuam no mundo, ao passo que eu vou para junto de ti.

Pai santo, guarda-os em teu nome, que me deste,

para que eles sejam um, assim como nós.

 

21 a fim de que todos sejam um;

e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti,

também sejam eles em nós;

para que o mundo creia que tu me enviaste.

 

 

Filhos e pais, é imprescindível que deis as mãos, rompendo barreiras e alcançando conceitos que vos possam salvar,

e é na caridade sem peias (impedimentos) que a luz poderá invadir os corações e libertar todos os sentimentos a serviço do amor.

 

O filho é a continuação dos pais, os pais são o mesmo filho nas suas necessidades de amor e de trabalhar.

 

Jesus, falando sobre os dez mandamentos,

sintetizou-os em apenas dois,

tendo como sustentação o amor.

 

 

Mateus 22 : 36 – 40

36  Mestre, qual é o grande mandamento na Lei?

 

37  Respondeu-lhe Jesus:

Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.

 

38  Este é o grande e primeiro mandamento.

 

39  O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

 

40  Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.

 

 

A Doutrina Espírita nos concita (estimula) por todos os meios a despertar os nossos valores espirituais, para que acordemos para a luz da vida.

Sejamos fiéis em todos os momentos, para que essa fidelidade nos alcance igualmente.

 

A Reencarnação é meio poderoso que nos mostra os caminhos da perfeição.

 

As descidas à carne são eventos de luz,

lições que nos alertam para a paz de coração e a tranquilidade de consciência.

 

Quem deseja avançar, deve começar dentro da sua própria casa,

onde se ajusta a primeira porta para o despertamento.

 

 

II Coríntios 5 : 5 – 10

Ora, foi o próprio Deus quem nos preparou para isto, outorgando-nos o penhor do Espírito.

 

6 Temos, portanto, sempre bom ânimo, sabendo que, enquanto no corpo, estamos ausentes do Senhor;

 

visto que andamos por fé e não pelo que vemos.

 

Entretanto, estamos em plena confiança, preferindo deixar o corpo e habitar com o Senhor.

 

9 É por isso que também nos esforçamos, quer presentes, quer ausentes, para lhe sermos agradáveis.

 

10  Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo,

para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.

 

 

Filipenses 1 : 22 – 24

22 Entretanto, se o viver na carne traz fruto para o meu trabalho, já não sei o que hei de escolher.

 

23 Ora, de um e outro lado, estou constrangido,

tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.

 

24  Mas, por vossa causa, é mais necessário permanecer na carne.

 

 

A lei da Natureza impõe aos pais ajudar os seus filhos, assim como os filhos a cuidarem dos seus pais na velhice e nas suas necessidades.

Convoquemos todas as nossas forças para tal desempenho e nos alegremos nos serviços do Cristo, esquecendo todas as reclamações.

Saiamos da peia das murmurações e deixemos todo o nosso tempo para as inspirações que receberemos todos os dias, dos emissários do Cristo.

 

 

Hebreus 1 : 14 – Não são todos eles ESPÍRITOS ministradores,

enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

LEIS MORAIS – LEI DO TRABALHO – 680 – NECESSIDADE DO TRABALHO – Não há homens que estão impossibilitados de trabalhar, seja no que for, e cuja existência é inútil?

16 set

LEIS MORAISLEI DO TRABALHO680NECESSIDADE DO TRABALHO 

Não há homens que estão impossibilitados de trabalhar, seja no que for, e cuja existência é inútil?

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraLeis MoraisCapítulo IIILei do TrabalhoNecessidade do Trabalhoitem 680.

 

680. Não há homens que estão impossibilitados de trabalhar, seja no que for, e cuja existência é inútil?

 

     — Deus é justo e só condena aquele cuja existência for voluntariamente inútil, porque esse vive na dependência do trabalho alheio. 

 

Ele quer que cada um se torne útil na proporção de suas faculdades. (Ver item 643.)

 

Provérbios 21 : 25 –  O preguiçoso morre desejando, porque as suas mãos recusam trabalhar.

 

João 6 : 27 – Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará;

porque Deus, o Pai, o confirmou com o seu selo.

 

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraDa Lei Divina ou NaturalCapítulo IO Bem e o Mal item 643.

 

643. Há pessoas que, por sua posição, não tenham possibilidade de fazer o bem?

 

Não há ninguém que não possa fazer o bem;

somente o egoísta não encontra jamais a ocasião de praticá-lo.

 

É suficiente estar em relação com outros homens para se fazer o bem,

e cada dia da vida oferece essa possibilidade a quem não estiver cego pelo egoísmo,

porque fazer o bem não é apenas ser caridoso,

mas ser útil na medida do possível, sempre que o auxílio se faça necessário.

 

 

Provérbios 3 : 27 – 28

27 – Não te furtes a fazer o bem a quem de direito, estando na tua mão o poder de fazê-lo.

28 – Não digas ao teu próximo: Vai e volta amanhã;

então, to darei, se o tens agora contigo.

 

 

II Tessalonicenses 3 : 13 – E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem.

 

Hebreus 13 : 16 – Não negligencieis, igualmente, a prática do bem e a mútua cooperação;

pois, com tais sacrifícios, Deus se compraz.

 

 

Livro : Filosofia Espírita  XIV –  Capítulo 17Espírito MiramezPsicografado por João Nunes Maia – item 680.

 

680/LE

 

INUTILIDADE DA EXISTÊNCIA

 

 

Inutilidade: não existe esta palavra no dicionário divino.

 

Ninguém é inútil para trabalhar;

alguém pode não fazer o serviço que desejava realizar,

no entanto, como o trabalho se estende em ramificações diversas, as lides são muitas

e pode escolher aquela que as suas forças têm a capacidade de realizar.

 

 

O homem inteligente, principalmente o espiritualista, sabe disso,

e ainda que esteja preso a um leito, pode usar a palavra em auxílio dos que vêm visitá-lo

e que, às vezes, estão carregados de problemas e com as suas mentes tisnadas (escurecidas) de infortúnios.

 

Provérbios 15 : 23 – O homem se alegra em dar resposta adequada, e a palavra, a seu tempo, quão boa é!

 

Marcos 4 : 14 – O semeador semeia a palavra.

 

Mateus 13 : 23 – Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende;

este frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um.

 

 

Muitos dos visitantes aos enfermos são mais doentes espiritualmente, entretanto, conhecendo o valor da caridade, aliviam-se com esse gesto de amor.

Quantos companheiros que, visitando enfermos, saem mais beneficiados!

 

Mateus 25 : 36estava nu, e me vestistes;

enfermo, e me visitastes;

preso, e fostes ver-me.

 

 

Tiago 1 : 27 – A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta:

visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações

e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.

 

 

Quando não se pode falar, os olhos são mensagens para os que entendem e sentem o amor.

 

Mateus 6 : 22 –  São os olhos a lâmpada do corpo.

Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso;

 

 

A própria tolerância, quando o doente não reclama, um gesto de alegria,

tudo isso são trabalhos de alta profundidade para os que sofrem.

 

 

Gálatas 5 : 22 – 23

22  Mas o fruto do Espírito é:

amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade,

 

23  mansidão, domínio próprio.

Contra estas coisas não há lei.

 

 

Colossenses 3 : 12 – Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados,

de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade.

 

 

A condenação da consciência é para aquele que voluntariamente deseja ficar parado

e não presta serviço, mesmo estando são.

 

Provérbios 21 : 25 – O preguiçoso morre desejando, porque as suas mãos recusam trabalhar.

 

 

Todavia, ninguém poderá ficar muito tempo nesse estado, e com o passar do tempo, procura fazer alguma coisa, sendo que o melhor é o bem.

Não se mede o bem por volume de ofertas, mas sim, pelos sentimentos que movem o companheiro nesse exercício.

 

João 6 : 27 – Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará;

porque Deus, o Pai, o confirmou com o seu selo.

 

Atos 20 : 35 – Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é mister socorrer os necessitados

e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus:

Mais bem-aventurado é dar que receber.

 

 

Lembremo-nos da oferta da viúva, colocando no gazofilácio duas pequenas moedas, tudo o que ela tinha,

enquanto muitos ricos faziam tilintar o aparelho, vaidosos na satisfação de ostentar.

 

Lucas 21 : 1 – 4

Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio.

Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas;

e disse: Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos.

 

Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava;

esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento.

 

 

Deus julga pelos sentimentos e não pela quantidade que é doada.

Às vezes, um simples sorriso vale mais que grande oferta material,

mas, se, se pode dar os dois, muito melhor.

 

 

Mateus 16 : 27 : Porque o Filho do homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos,

e então retribuirá a cada um conforme as suas obras.

 

Salmos 62 : 12 – e a ti, Senhor, pertence a graça,

pois a cada um retribuis segundo as suas obras.

 

Romanos 14 : 12 – Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.

 

II Coríntios 5: 10 – Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo,

para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo.

 

 

Não esqueçamos que o amor pode irradiar-se em tudo o que ofertamos,

quando este gesto de fraternidade é acompanhado do carinho.

 

Façamos a caridade que o coração indicar;

se desejamos aperfeiçoar nossos sentimentos

e não pararmos de buscar a Deus,

tudo virá ao nosso encontro, como o Senhor quer, para a nossa felicidade e a glória do bem.

 

 

Salmos 105 : 4 – Buscai o SENHOR e o seu poder;

buscai perpetuamente a sua presença.

 

Mateus 6 : 31 – 33

31 Portanto, não vos inquieteis, dizendo:

Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?

 

32  Porque os gentios é que procuram todas estas coisas;

pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas;

 

33  buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça,

e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

 

 

Mateus 7 : 7 – 8

Pedi, e dar-se-vos-á;

buscai e achareis;

batei, e abrir-se-vos-á.

 

Pois todo o que pede recebe;

o que busca encontra;

e, a quem bate, abrir-se-lhe-á.

 

 

Desejamos que cada um seja útil, conforme o seu dom de servir:

aquilo que pensa, que procure fazer com amor;

quando falar, que não saia dessa linha;

se escrever, que se lembre sempre da vida de Jesus, nos conceitos que expressa no papel.

 

Colossenses 3 : 17 – E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação,

fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.

 

Colossenses 3 : 23 – 25

23 Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração,

como para o Senhor e não para homens,

 

24  cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança.

A Cristo, o Senhor, é que estais servindo;

 

25 pois aquele que faz injustiça receberá em troco a injustiça feita;

e nisto não há acepção de pessoas.

 

 

Efésios 6 : 6 – 7

6 não servindo à vista, como para agradar a homens,

mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus;

 

servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens,

 

 

Façamos da nossa vida, uma vida de amor,

que ele nos salvará de todos os males,

por ter o condão de harmonizar a nossa mente e o nosso coração.

 

 

I João 4 : 16 – E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós.

Deus é amor,

e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

 

 

Se ninguém é inútil na vida, o que fazemos da nossa ?

Pensemos em Deus e trabalhemos para a paz de todos;

 

Marcos 9 : 50 – Bom é o sal;

mas, se o sal vier a tornar-se insípido, como lhe restaurar o sabor?

Tende sal em vós mesmos e paz uns com os outros.

 

 

….pensemos em Jesus e amemos a todos como a nós mesmos,

que o nosso mundo exterior se transformará em paraíso de luz,

por esplendermos o Cristo interno,

que pode nascer em nosso coração de filhos de Deus.

 

 

Mateus 22 : 36 – 40

36  Mestre, qual é o grande mandamento na Lei?

 

37  Respondeu-lhe Jesus:

Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.

 

38  Este é o grande e primeiro mandamento.

 

39  O segundo, semelhante a este, é:

Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

 

40  Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.

 

 

Sede mutuamente hospitaleiros, sem murmuração. (I Pedro 4 : 9)

 

Vejamos uma utilidade, quando o apóstolo nos convida a trabalhar;

não exige nem mesmo esforço físico, mas somente que sejamos hospitaleiros,

mas, ele acrescenta: sem murmuração.

Esse é um trabalho maravilhoso para a alma, ajudar sem desejar que os outros saibam dessa caridade.

 

Mateus 6 : 1 – 4

Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles;

doutra sorte, não tereis galardão junto de vosso Pai celeste.

 

Quando, pois, deres esmola, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens.

Em verdade vos digo que eles já receberam a recompensa.

 

Tu, porém, ao dares a esmola, ignore a tua mão esquerda o que faz a tua mão direita;

 

4 para que a tua esmola fique em secreto;

e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará.

 

 

I Pedro 4 : 8 – 10

Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros,

porque o amor cobre multidão de pecados.

 

Sede, mutuamente, hospitaleiros, sem murmuração.

 

10 Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu,

como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

 

 

Devemos procurar sempre mais oportunidades de servir sem murmuração,

que a resposta de Deus virá ao nosso encontro, por acréscimo de misericórdia.

O trabalho honesto é a luz da vida.

 

Colossenses 3 : 23 – 24

23 Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração,

como para o Senhor e não para homens,

 

24  cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança.

A Cristo, o Senhor, é que estais servindo;

 

 

I Pedro 4 : 11 –  Se alguém fala, fale de acordo com os oráculos de Deus;

se alguém serve, faça-o na força que Deus supre,

para que, em todas as coisas, seja Deus glorificado,

por meio de Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém!

 

Oráculo : Palavra, sentença ou decisão inspirada, infalível, ou que tem grande autoridade: 

LEIS MORAIS – LEI DO TRABALHO – 679 – NECESSIDADE DO TRABALHO – 0 homem que possui bens suficientes para assegurar sua subsistência está liberto da lei do trabalho?

31 ago

LEIS MORAISLEI DO TRABALHO679NECESSIDADE DO TRABALHO – O homem que possui bens suficientes para assegurar sua subsistência está liberto da lei do trabalho?

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraLeis MoraisCapítulo IIILei do TrabalhoNecessidade do Trabalhoitem 679

 

679. O homem que possui bens suficientes para assegurar sua subsistência está liberto da lei do trabalho?

     — Do trabalho material, talvez,

mas não da obrigação de se tornar útil ,

conforme os meios de que disponha,

de aperfeiçoar a sua inteligência ou a dos outros,

o que é também um trabalho.

 

 

Hebreus 13 : 20 – 21

20 Ora, o Deus da paz, que tornou a trazer dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o grande Pastor das ovelhas, pelo sangue da eterna aliança,

21 vos aperfeiçoe em todo o bem,

para cumprirdes a sua vontade,

operando em vós o que é agradável diante dele,

por Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre. Amém!

 

 

Se o homem a quem Deus concedeu bens suficientes para assegurar sua subsistência, não está obrigado a comer o pão com o suor do seu rosto,

a obrigação de ser útil a seus semelhantes é tanto maior para ele,

quanto mais ocasiões de praticar o bem lhe proporciona o adiantamento que lhe foi feito.

 

 

Hebreus 13 : 16 – Não negligencieis, igualmente, a prática do bem e a mútua cooperação;

pois, com tais sacrifícios, Deus se compraz.

 

 

I Timóteo 6 : 17 – 19

17  Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza,

mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento;

 

18 que pratiquem o bem,

sejam ricos de boas obras,

generosos em dar e prontos a repartir;

 

19 que acumulem para si mesmos tesouros, sólido fundamento para o futuro, a fim de se apoderarem da verdadeira vida.

 

 

Livro : O Evangelho segundo o EspiritismoCapítulo XIIIQue a mão esquerda não saiba o que faz a direitaInstruções dos EspíritosA BENEFICÊNCIA item 16.

 

A BENEFICÊNCIA

 

16 – A mulher rica, feliz, que não tem necessidade de empregar o seu tempo nos trabalhos da casa, não pode dedicar algumas horas ao serviço do próximo?

 

Que, com as sobras dos seus gastos felizes, compre agasalhos para o infeliz que tirita de frio;

com suas mãos delicadas, confeccione roupas grosseiras, mas quentes,

e ajude a mãe pobre a vestir o filho que vai nascer.

 

 

Provérbios 3 : 27 – 28

27  Não te furtes a fazer o bem a quem de direito, estando na tua mão o poder de fazê-lo.

28 Não digas ao teu próximo: Vai e volta amanhã;

então, to darei, se o tens agora contigo.

 

 

Provérbios 31 : 10 – 13 ; 20

10  Mulher virtuosa, quem a achará?

O seu valor muito excede o de finas jóias.

 

11  O coração do seu marido confia nela, e não haverá falta de ganho.

12  Ela lhe faz bem e não mal, todos os dias da sua vida.

 

13  Busca lã e linho e de bom grado trabalha com as mãos.

 

20  Abre a mão ao aflito; e ainda a estende ao necessitado.

 

 

Tiago 2 : 14 – 17

14  Meus irmãos, qual é o proveito, se alguém disser que tem fé, mas não tiver obras?

Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo?

 

15  Se um irmão ou uma irmã estiverem carecidos de roupa e necessitados do alimento cotidiano,

16 e qualquer dentre vós lhes disser:

Ide em paz, aquecei-vos e fartai-vos,

sem, contudo, lhes dar o necessário para o corpo, qual é o proveito disso?

 

17  Assim, também a fé, se não tiver obras, por si só está morta.

 

 

Se o seu filho, com isso, ficar com alguns rendados de menos, o daquela terá mais calor.

Trabalhar para os pobres é trabalhar na vinha do Senhor.

 

E tu, pobre operária, que não dispõe de sobras, mas que desejas, no amor por teus irmãos, dar também um pouco do que possuís, oferece algumas horas do teu dia, do teu tempo, que é o teu único tesouro.

Faze alguns desses trabalhos elegantes que tentam os felizes, vende o produto dos teus serões, e poderás também proporcionar, a teus irmãos a tua parte de alívio. Terás, talvez, algumas fitas a menos, mas darás sapatos aos que vivem descalços.

 

Lucas 21 : 1 – 4

Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. (Lugar, no templo, onde se guardavam os vasos e recolhiam as oferendas).

Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas;

e disse: Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos.

 

Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava;

esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento.

 

 

Hebreus 13 : 16 – Não negligencieis, igualmente, a prática do bem e a mútua cooperação;

pois, com tais sacrifícios, Deus se compraz.

 

 

E vós, mulheres devotadas a Deus,

trabalhai também para as vossas obras piedosas,

mas que os vossos trabalhos delicados e custosos não sejam feitos apenas para ornar as vossas capelas, ou para atrair a atenção sobre a vossa habilidade e paciência.

 

Trabalhai, minhas filhas, e que o resultado de vossas obras seja consagrado ao alívio de vossos irmãos em Deus.

Os pobres são os seus filhos bem amados: trabalhar por eles é glorificá-lo.

Sede os instrumentos da Providência, que diz: “Às aves do céu, Deus dá o alimento”.

Que o ouro e a prata, tecidos pelos vossos dedos, se transformem em roupas e provisões para os necessitados.

Fazei isso, e o vosso trabalho será abençoado.

 

 

Colossenses 3 : 23 – 25

23 Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração,

como para o Senhor e não para homens,

 

24  cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança.

 

A Cristo, o Senhor, é que estais servindo;

 

25 pois aquele que faz injustiça receberá em troco a injustiça feita;

e nisto não há acepção de pessoas.

 

 

E todos vós, que podeis produzir, dai:

dai o vosso gênio,

dai as vossas inspirações,

dai o vosso coração, que Deus vos abençoará.

 

 

Marcos 16 : 15 – E disse-lhes:

Ide por todo o mundo

e pregai o evangelho a toda criatura.

 

 

I Coríntios 15 : 58 – Portanto, meus amados irmãos,

sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor,

sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.

 

 

Poetas, literatos, que sois lidos somente pela gente de sociedade, preenchei os seus lazeres,

mas que o produto de algumas de vossas obras seja destinado ao alívio dos infelizes.

 

Eclesiastes 12 : 9 – 10

O Pregador, além de sábio, ainda ensinou ao povo o conhecimento;

e, atentando e esquadrinhando, compôs muitos provérbios.

 

10  Procurou o Pregador achar palavras agradáveis e escrever com retidão palavras de verdade.

 

 

Pintores, escultores, artistas de todos os gêneros, que a vossa inteligência venha também ajudar os vossos irmãos:

não tereis menos glória por isso, e eles terão alguns sofrimentos a menos.

 

Todos vós podeis dar:

a qualquer classe a que pertençais, tereis sempre alguma coisa que pode ser dividida.

 

Lucas 6 : 38 – dai, e dar-se-vos-á;

boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão;

porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também

 

 

Seja o que for que Deus vos tenha dado, deveis uma parcela aos que não têm sequer o necessário,

pois em seu lugar ficaríeis contentes, se alguém dividisse convosco.

 

Vossos tesouros da terra diminuirão um pouco, mas vossos tesouros do céu serão mais abundantes:

colhereis pelo cêntuplo, lá em cima, o que semeardes em benefícios aqui em baixo.

 

JOÃO – Bordeaux, 1861

 

 

Mateus 13 : 23 – Mas o que foi semeado em boa terra

é o que ouve a palavra e a compreende;

este frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um.

 

 

João 8 : 31 – 32

31 Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele:

Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos;

 

32 e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

 

 

 

Livro : Filosofia Espírita  XIV –  Capítulo 16Espírito MiramezPsicografado por João Nunes Maia item 679.

 

679/LE

 

ISENÇÃO DA LEI

 

Ninguém se encontra isento da lei do trabalho, pois, se ele se multiplica ao infinito, Deus não iria deixar de aplicar a Sua lei a todas as criaturas, somente porque algumas delas possuem bens materiais.

 

Essas por vezes, trabalham mais do que as que não possuem riqueza, pois têm maiores preocupações pelo dever de vigiar o que possuem e por cuidar de multiplicar o que Deus colocou em suas mãos.

Lembremo-nos dos talentos citados na parábola evangélica, e o dever de serem eles multiplicados pelos que o receberem.

 

Mateus 25 : 14 – 30

14 Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens.

15 A um deu cinco talentos, a outro, dois e a outro, um, a cada um segundo a sua própria capacidade; e, então, partiu.

 

16 O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar com eles e ganhou outros cinco.

17 Do mesmo modo, o que recebera dois ganhou outros dois.

18 Mas o que recebera um, saindo, abriu uma cova e escondeu o dinheiro do seu senhor.

 

19 Depois de muito tempo, voltou o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles.

 

20 Então, aproximando-se o que recebera cinco talentos, entregou outros cinco, dizendo: Senhor, confiaste-me cinco talentos;

eis aqui outros cinco talentos que ganhei.

 

21  Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel;

foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei;

entra no gozo do teu senhor.

 

22  E, aproximando-se também o que recebera dois talentos, disse: Senhor, dois talentos me confiaste;

aqui tens outros dois que ganhei.

 

23  Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel;

foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei;

entra no gozo do teu senhor.

 

24 Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste,

25  receoso, escondi na terra o teu talento;

aqui tens o que é teu.

 

26  Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

 

27  Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu.

 

28  Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem dez.

 

29  Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância;

mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado.

 

30  E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas.

Ali haverá choro e ranger de dentes.

 

 

Se não há necessidade de se operar em duros trabalhos, onde o esforço físico deve ser ativado, o esforço mental ocupa-se com mais atividades.

O físico recupera-se com mais facilidade que o desgaste mental;

por conseguinte, esse último se expressa como sendo labor mais profundo e mais cansativo.

 

Quanto mais cresce a alma, mais obrigações a sua consciência lhe impõe.

O político não pega na enxada, nem dirige um arado na lavoura, nem sempre dirige seu próprio carro, e não lhe sobra tempo para andar nas ruas admirando as coisas e pessoas.

Não entrega  suas mãos à vassoura na limpeza pública, contudo, o trabalho mental que exercita nas tribunas e na composição de leis, lutando contra a oposição, pode somar mais desgastes do que os esforços dos homens musculosos que executam pesadas tarefas na agricultura, na pecuária e na construção civil.

 

 

Observação :

Este livro foi escrito em 1990, e, infelizmente, tudo mudou na política brasileira. Hoje, os políticos não se preocupam mais com o povo. Preocupam-se apenas, em roubar a Nação e se verem livres da Justiça.

Esquecem-se da Justiça Divina, que não falhará.

 

 

O trabalho de escritor é bem diferente do exercido pelo homem do campo;

é um trabalho que requer mais inteligência, desenvolvendo o pensamento e muitas vezes, ajudando aos que trabalham em duros labores, como os que já citamos.

 

Tornamos a dizer: ninguém é isento da lei do trabalho, lei universal para todas as criaturas, em todos os mundos, quer sejam materiais ou espirituais.

Cumpre a todos trabalhar,

porque Deus não pára

e Jesus opera sempre.

 

João 5 : 17 – Mas ele lhes disse:

Meu Pai trabalha até agora,

e eu trabalho também.

 

 

Observemos que tudo no mundo se movimenta, das células aos órgãos, e destes ao soma (totalidade), o complexo humano constitui um fulcro (apoio, sustentáculo) de movimentos constantes, buscando aprimoramento.

 

Mostra-nos as experiências , que a inteligência disciplinada, em que a razão se expressa,

deve escolher as modalidades de trabalhos que deve fazer,

porque as lidas bem orientadas são sementes do amor, onde floresce a paz.

 

Ora, quem é que vos há de maltratar, se fordes zelosos no que é bom ? (I Pedro 3 : 13)

 

 

É de bom alvitre que devemos ter zelo pelo que é bom, para que possamos receber segundo o que ofertamos.

 

I Coríntios 12 : 31 – Entretanto, procurai, com zelo, os melhores dons.

E eu passo a mostrar-vos ainda um caminho sobremodo excelente.

 

 

Esse é o melhor trabalho,

aquele que busca a harmonia que podes alcançar pelo pensar, falar e viver.

 

 

Filipenses 4 : 8 – 9

Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro,

tudo o que é respeitável,

tudo o que é justo,

tudo o que é puro,

tudo o que é amável,

tudo o que é de boa fama,

se alguma virtude há e se algum louvor existe,

seja isso o que ocupe o vosso pensamento.

 

O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai;

e o Deus da paz será convosco.

 

 

O homem que se isenta do trabalho por ter bens materiais com abundância, nos dias de hoje está sujeito a perder o que possui.

 

Eclesiastes 5 : 10 – Quem ama o dinheiro jamais dele se farta;

e quem ama a abundância nunca se farta da renda;

também isto é vaidade.

 

 

Lucas 12 : 15 – 21

15  Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza;

porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui.

 

16  E lhes proferiu ainda uma parábola, dizendo:

O campo de um homem rico produziu com abundância.

 

17 E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos?

18 E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros,

reconstruí-los-ei maiores

e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens.

 

19 Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te.

 

20  Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma;

e o que tens preparado, para quem será?

 

21  Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus.

 

 

Os desequilíbrios financeiros são chamados para que os ricos trabalhem mais, e para que os pobres reconheçam que todos sofrem a mesma pressão da vida,

para despertamento dos bens espirituais que existem em todas as criaturas.

 

Tudo o que o homem precisa existe com abundância em todos os lugares do mundo.

A carência que se expressa com evidência nos países,

é a falta de amor que não custa dinheiro,

é a falta de Cristo no coração dos homens.

 

Mateus 24 : 12 – E, por se multiplicar a iniquidade,

o amor se esfriará de quase todos.

 

 

Quando o Evangelho fizer parte das cartas-magnas de todos os países,

e os homens colocarem em prática todos os conceitos ensinados e vividos pelo Mestre,

passarão a viver no paraíso.

 

Aquele que se encontra por enquanto perdido, guiado pelos cegos, logo que receber o toque de Jesus, passará a vê-Lo e encontrará o céu dentro de si mesmo, com toda a esperança de viver.

 

Lucas 17 : 21 –  Nem dirão: Ei-lo aqui!

Ou: Lá está!

Porque o reino de Deus está dentro de vós.

 

 

Mateus 7 : 12 – 27

12  Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam,

assim fazei-o vós também a eles;

porque esta é a Lei e os Profetas.

 

13  Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela),

 

14  porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela.

 

15  Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores.

 

16  Pelos seus frutos os conhecereis.

Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos?

 

17  Assim, toda árvore boa produz bons frutos,

porém a árvore má produz frutos maus.

 

18  Não pode a árvore boa produzir frutos maus,

nem a árvore má produzir frutos bons.

 

19  Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo.

 

20  Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis.

 

21  Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus,

mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.

 

22  Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor!

Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres?

 

23  Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci.

Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade.

 

24  Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica

será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha;

 

25  e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha.

 

26  E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica

será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia;

 

27  e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.

 

 

Mateus 22 : 36 – 40

36  Mestre, qual é o grande mandamento na Lei?

37  Respondeu-lhe Jesus:

Amarás o Senhor, teu Deus,

de todo o teu coração,

de toda a tua alma

e de todo o teu entendimento.

 

38  Este é o grande e primeiro mandamento.

 

39  O segundo, semelhante a este, é:

Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

 

40  Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas.

 

 

LEIS MORAIS – LEI DO TRABALHO – 678 – NECESSIDADE DO TRABALHO – Nos mundos mais aperfeiçoados, o homem é submetido à mesma necessidade de trabalhar ?

15 ago

LEIS MORAISLEI DO TRABALHO678NECESSIDADE DO TRABALHO

Nos mundos mais aperfeiçoados, o homem é submetido à mesma necessidade de trabalhar ?

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraLeis MoraisCapítulo IIILei do Trabalho Necessidade do Trabalhoitem 678.

 

678. Nos mundos mais aperfeiçoados, o homem é submetido à mesma necessidade de trabalhar ?

A natureza do trabalho está em relação com a natureza das necessidades.

 

Gênesis 2 : 1 – Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército (de Anjos).

 

 

Quanto menos necessidades materiais, menos material é o trabalho.

Mas não julgueis, por isso, que o homem permanece inativo e inútil.

A ociosidade seria um suplício, em vez de ser um benefício.

 

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte QuartaCapítulo IIDAS PENAS E GOZOS FUTUROSNatureza das Penas e Gozos Futurositem 969.

 

969. O que se deve entender quando se diz que os Espíritos puros estão reunidos no seio de Deus e ocupados em lhe entoar louvores?                       

É uma alegoria indicativa da inteligência que eles têm das perfeições de Deus, pois o veem e compreendem;

 

mas, como tantas outras, não se deve tomá-la ao pé da letra.

 

Tudo na Natureza, desde o grão de areia, canta, ou seja,

proclama o poder, a sabedoria e a bondade de Deus.

 

 

Provérbios 3 : 19 – O SENHOR com sabedoria fundou a terra,

com inteligência estabeleceu os céus.

 

 

Mas não penseis que os Espíritos bem-aventurados estejam em contemplação por toda a  eternidade.

 

Hebreus 1 : 14 – Não são todos eles ESPÍRITOS ministradores,

enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

 

Isso seria uma felicidade estúpida e monótona,

e mais ainda, a felicidade do egoísta, pois a sua existência seria uma inutilidade sem fim.

 

Eles não sofrem mais as tribulações da existência corpórea: isso já é um prazer;

depois, como já dissemos, conhecem e sabem todas as coisas

e empregam proveitosamente a inteligência adquirida, para auxiliar o progresso dos outros Espíritos:

essa é a sua ocupação e ao mesmo tempo um prazer.

 

 

Livro : O Evangelho segundo o EspiritismoCapítulo IIIHá muitas moradas na casa de meu Paiitem 10Mundos Superiores e Inferiores.

 

HÁ MUITAS MORADAS NA CASA DE MEU PAI

 

João 14 : 1 – 2

Não se turbe o vosso coração;

credes em Deus, crede também em mim.

 

Na casa de meu Pai há muitas moradas.

 

Se assim não fora, eu vo-lo teria dito.

Pois vou preparar-vos lugar.

 

 

MUNDOS SUPERIORES E INFERIORES

 

10 – Nos mundos felizes, a relação de povo para povo, sempre amigáveis,

jamais são perturbadas pelas ambições de dominação e pelas guerras que lhes são consequentes.

 

Não existem senhores nem escravos, nem privilegiados de nascimentos.

 

Só a superioridade moral e intelectual determina as diferentes condições e confere a supremacia.

 

A autoridade é sempre respeitada, porque decorre unicamente do mérito e se exerce sempre com justiça.

 

O homem não procura elevar-se sobre o seu semelhante, mas sobre si mesmo, aperfeiçoando-se.

 

 

João 17 : 22 – 23

22  Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado,

para que sejam um, como nós o somos;

 

23 eu neles, e tu em mim,

a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade,

para que o mundo conheça que tu me enviaste

e os amaste, como também amaste a mim.

 

 

Hebreus 12 : 22 – 23

22  Mas tendes chegado ao monte Sião e à cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial, e a incontáveis hostes de anjos, e à universal assembleia

 

23 e igreja dos primogênitos arrolados nos céus,

e a Deus, o Juiz de todos,

e aos espíritos dos justos aperfeiçoados,

 

 

Seu objetivo é atingir a classe dos Espíritos puros,

e esse desejo incessante não constitui um tormento, mas uma nobre ambição,

que o faz estudar com ardor para os igualar.

 

Todos os sentimentos ternos e elevados da natureza humana apresentam-se engrandecidos e purificados.

 

Os ódios, as mesquinharias dos ciúmes, as baixas cobiças da inveja, são ali desconhecidos.

 

Um sentimento de amor e fraternidade une a todos os homens e os mais fortes ajudam os mais fracos.

 

Suas posses são correspondentes às possibilidades de aquisição de suas inteligências,

mas ninguém sofre a falta do necessário,

porque ninguém ali se encontra em expiação.

 

Em uma palavra, o mal não existe.

 

 

Livro : Filosofia Espírita  XIV –  Capítulo 15Espírito MiramezPsicografado por João Nunes Maia item 678.

 

678/LE

 

ESPÍRITOS SUPERIORES

 

Fugir do trabalho é isentar-se dos meios pelos quais vêm os ensinamentos espirituais.

Trabalhar é viver;

tudo no mundo se agita, em se formando belezas imortais.

 

A lida para a humanidade é de acordo com as suas necessidades de despertamento.

Nos mundos superiores, certamente que o labor (trabalho) é relativo às suas necessidades.

 

O trabalho obedece ao progresso das criaturas de Deus e, mesmo que queira, o Espírito jamais deixará de trabalhar;

até os seus corpos, em todas as faixas que lhes compete existir, estão em pleno movimento,

clarificando cada vez mais o roteiro do seu senhor, que é a alma que os ocupa.

 

Sendo o Espírito criação de Deus, como concebê-lo na sua estrutura mais íntima sem movimento divino ?  

Deus é luz,

e luz é dinamismo estuante (ardente) que se irradia em todas as direções,

dando e levando vida para todos os lados.

 

 

I João 1 : 5 – Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta:

que Deus é luz,

e não há nele treva nenhuma.

 

 

O Espírito foi criado simples e ignorante,

e como tal carece, pelo trabalho e pelas vidas sucessivas,

de despertar para viver melhor.

 

II Coríntios 13 : 11 – Quanto ao mais, irmãos, adeus!

Aperfeiçoai-vos,

consolai-vos,

sede do mesmo parecer,

vivei em paz;

e o Deus de amor e de paz estará convosco.

 

 

Quem está em estado de sono, se encontra inativo até certo ponto, mas não sem movimento;

mesmo quando nesse estado, a alma trabalha e os corpos se movem.

 

Números 12 : 6 – Então, disse: Ouvi, agora, as minhas palavras;

se entre vós há profeta, eu, o SENHOR, em visão a ele,

me faço conhecer ou falo com ele em sonhos.

 

 

Jó 13 : 14 – 16

14  Pelo contrário, Deus fala de um modo, sim, de dois modos,

mas o homem não atenta para isso.

 

15  Em sonho ou em visão de noite, quando cai sono profundo sobre os homens, quando adormecem na cama,

 

16  então, lhes abre os ouvidos e lhes sela a sua instrução,

 

 

Mateus 2 : 12 – 13

12  Sendo por divina advertência prevenidos em sonho para não voltarem à presença de Herodes, regressaram por outro caminho a sua terra.

 

13  Tendo eles partido, eis que apareceu um anjo do Senhor a José, em sonho, e disse:

Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito e permanece lá até que eu te avise; porque Herodes há de procurar o menino para o matar.

 

 

Notamos nos Espíritos primitivos certa lentidão, mas nunca paralisação.

Quanto mais inferior o Espírito, mais lentos são seus movimentos;

quanto mais evolui, mais acelerado o seu dinamismo, buscando harmonia.

 

O que observamos com os sentidos físicos é o que se expressa com mais velocidade na sua intimidade.

 

Vejamos bem o éter cósmico, esse hálito de Deus, como podemos chamá-lo,

essa luz cósmica cuja velocidade ainda não pode ser medida,

por ultrapassar o próprio pensamento dos Espíritos,

por ser o pensamento de Deus que a tudo interpenetra,

e que Ele mesmo criou por amor:

 

esse fluido divino é o amor do Todo Poderoso,

que tem o poder de se transformar pela força que lhe emprestam os sentimentos,

e esse é o trabalho dos agentes do Senhor,

na transformação dessas bênçãos, criando mundos e sóis, como sendo os cocriadores das belezas do Universo.

 

Contudo, somente Deus dirige a tudo com sabedoria,

porque a harmonia total está n’Ele, e somente n’Ele.

 

 

João 5 : 17 – Mas ele lhes disse: Meu Pai trabalha até agora,

e eu trabalho também.

 

Hebreus 1 : 14 – Não são todos eles ESPÍRITOS ministradores,

enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

 

O maior dom da vida humana e do Espírito é o pensamento,

cuja força manejada com amor faz prodígios.

 

Estamos na época da florescência da mente;

procuremos, pois, estudar nossas forças,

mas, acima de tudo procuremos empregá-la, como Jesus nos dá exemplo. 

 

 

Filipenses 4 : 8 – 9

Finalmente, irmãos,

tudo o que é verdadeiro,

tudo o que é respeitável,

tudo o que é justo,

tudo o que é puro,

tudo o que é amável,

tudo o que é de boa fama,

se alguma virtude há

e se algum louvor existe,

seja isso o que ocupe o vosso pensamento.

 

O que também aprendestes,

e recebestes,

e ouvistes,

e vistes em mim,

isso praticai;

e o Deus da paz será convosco.

 

 

Tudo é trabalho;

 

Salmos 128 : 2 – Do trabalho de tuas mãos comerás,

feliz serás,

e tudo te irá bem.

 

 

… não devemos querer trabalhar fora das nossas possibilidades de operação, nem remontar à retaguarda.

Se nos mundos superiores o trabalho é feito em relação à evolução das almas ali estagiadas, ele deve, nesses mundos, prosseguir no ritmo que o progresso traçou.

 

Não obstante, nos mundos inferiores, onde as provas são duras para as almas, o trabalho é mais grosseiro, mas deve ser encarado como dever.

 

Existem estâncias divinas em que os Espíritos suprem todas as suas necessidades pela força do pensamento,

e Jesus deu prova disso multiplicando pães e peixes,

transformando água em vinho

e, simplesmente com um toque das Suas mãos, curando os enfermos.

Quando Ele acionava seu verbo, levantava caídos e fazia voltar as almas aos corpos.

 

Mateus 15 : 34 – 38

34  Perguntou-lhes Jesus: Quantos pães tendes?

Responderam: Sete e alguns peixinhos.

 

35  Então, tendo mandado o povo assentar-se no chão,

 

36  tomou os sete pães e os peixes,

e, dando graças,

partiu, e deu aos discípulos, e estes, ao povo.

 

37  Todos comeram e se fartaram;

e, do que sobejou, recolheram sete cestos cheios.

38  Ora, os que comeram eram quatro mil homens, além de mulheres e crianças.

 

 

João 2 : 7 – 10

Jesus lhes disse: Enchei de água as talhas. E eles as encheram totalmente.

 

Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram.

 

Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo

10 e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior;

tu, porém, guardaste o bom vinho até agora.

 

 

Mateus 20 : 34 – Condoído, Jesus tocou-lhes os olhos,

e imediatamente recuperaram a vista e o foram seguindo.

 

 

Marcos 10 : 13 : 16

13  Trouxeram-lhe, então, algumas crianças,

para que lhes impusesse as mãos e orasse;

mas os discípulos os repreendiam.

 

14  Jesus, porém, disse: Deixai os pequeninos, não os embaraceis de vir a mim, porque dos tais é o reino dos céus.

 

15  E, tendo-lhes imposto as mãos, retirou-se dali.

 

 

Lucas 18 : 15 – 17

15 Traziam-lhe também as crianças, para que as tocasse;

e os discípulos, vendo, os repreendiam.

 

16 Jesus, porém, chamando-as para junto de si, ordenou:

Deixai vir a mim os pequeninos e não os embaraceis,

porque dos tais é o reino de Deus.

 

17 Em verdade vos digo:

Quem não receber o reino de Deus como uma criança,

de maneira alguma entrará nele.

 

 

Marcos 1 : 40 – 42

40  Aproximou-se dele um leproso rogando-lhe, de joelhos: Se quiseres, podes purificar-me.

41 Jesus, profundamente compadecido,

estendeu a mão, tocou-o e disse-lhe: Quero, fica limpo!

42 No mesmo instante, lhe desapareceu a lepra, e ficou limpo.

 

 

Lucas 13 : 12 – 13

12  Vendo-a Jesus, chamou-a e disse-lhe:

Mulher, estás livre da tua enfermidade;

 

13  e, impondo-lhe as mãos,

ela imediatamente se endireitou e dava glória a Deus.

 

 

A lei do trabalho é a mesma em todos os mundos habitados, contudo, os modos de operação são diversos, de acordo com as necessidades dos Espíritos.

 

Essa é a justiça de Deus, mostrando o Seu amor em toda a parte.

 

Compreendamos, pois, que devemos estudar as leis de Deus na profundidade que nos cabe aprender.

 

Discutir sobre quem está certo é perda de tempo, dentro do tempo que nos chama à compreensão;

trocar ideias com carinho é função da alma que deseja elevar-se acima da ignorância.

 

O trabalho é Deus nos chamando a servir.

 

Efésios 6 : 6 – 7

não servindo à vista, como para agradar a homens,

mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus;

 

servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens,

 

 

Colossenses 3 : 23

Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração,

como para o Senhor e não para homens,

 

LEIS MORAIS – LEI DO TRABALHO – 677 – NECESSIDADE DO TRABALHO Por que a Natureza provê, por si mesma, a todas as necessidades dos animais?

30 jul

LEIS MORAISLEI DO TRABALHO677NECESSIDADE DO TRABALHO.

 

Por que a Natureza provê, por si mesma, a todas as necessidades  dos animais?

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraLeis MoraisCapítulo IIILei do TrabalhoNecessidade do Trabalhoitem 677

 

677. Por que a Natureza provê, por si mesma, a todas as necessidades  dos animais?

Tudo trabalha na Natureza.

Os animais trabalham, como tu, mas o trabalho deles, de acordo com a inteligência de que dispõe, é limitado aos cuidados da própria conservação.

 

Eis porque, entre eles, o trabalho não conduz ao progresso, enquanto entre os homens tem um duplo objetivo:

a conservação do corpo

e o desenvolvimento da faculdade de pensar,

que é também uma necessidade e que o eleva acima de si mesmo.

 

Quando digo que o trabalho dos animais é limitado aos cuidados de sua conservação, refiro-me ao fim a que eles se propõem, trabalhando.

Mas, enquanto, sem o saberem, eles se entregam inteiramente a prover as suas necessidades materiais, são os agentes que colaboram nos desígnios do Criador.

O trabalho que executam também concorre para a realização do objetivo final da Natureza, embora, muitas vezes, não possais ver o seu resultado imediato.

 

Provérbios 12 : 10 – O justo atenta para a vida dos seus animais, mas o coração dos perversos é cruel.

 

 

Eclesiastes 3 : 16 – 20

16 Vi ainda debaixo do sol que no lugar do juízo reinava a maldade

e no lugar da justiça, maldade ainda.

 

17 Então, disse comigo: Deus julgará o justo e o perverso;

pois há tempo para todo propósito e para toda obra.

 

18  Disse ainda comigo: é por causa dos filhos dos homens, para que Deus os prove, e eles vejam que são em si mesmos como os animais.

 

19 Porque o que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais;

o mesmo lhes sucede:

como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego de vida, e nenhuma vantagem tem o homem sobre os animais;

porque tudo é vaidade.

 

20  Todos vão para o mesmo lugar;

todos procedem do pó e ao pó tornarão.

 

 

Livro : O Evangelho segundo o EspiritismoCapítulo XXVBuscai e AchareisOlhai as Aves do Céuitens 68.

 

Olhai as Aves do Céu

 

6 – Não queirais entesourar para vós tesouros na Terra, onde a ferrugem e a traça os consomem, e onde os ladrões os desenterram e roubam.

 

Mas entesourai para vós tesouros no céu, onde não os consomem a ferrugem nem a traça, e onde os ladrões não o desenterram nem roubam.

 

Porque onde está o tesouro, aí está também o teu coração.

 

Portanto vos digo: Não andeis cuidadosos da vossa vida, que comereis, nem para o vosso corpo, que vestireis.

Não é mais a alma do que a comida, e o corpo mais do que o vestido?

 

Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem segam (ceifam), nem fazem provimentos nos celeiros;

e, contudo, vosso Pai celestial as sustenta.

 

Porventura não sois muito mais do que elas?

E qual de vós, discorrendo, pode acrescentar um côvado (aproximadamente  66 cm) à sua estatura?

E por que andais vós solícitos pelo vestido?

 

Considerai como crescem os lírios do campo;

eles não trabalham nem fiam;

digo-vos mais, que nem Salomão, em toda a sua glória, se cobriu jamais como um destes.

Pois se ao feno do campo, que hoje é ,e amanhã é lançado no forno, Deus veste assim, quanto mais a vós, homens de pouca fé?

 

Não vos aflijais, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos cobriremos?

Porque os gentios é que se cansam por estas coisas.

 

Porquanto vosso Pai sabe que tendes necessidade de todas elas.

 

Buscai primeiramente o Reino de Deus e a sua justiça,

e todas estas coisas se vos acrescentarão.

 

E assim não andeis inquietos pelo dia de amanhã.

Porque o dia de amanhã a si mesmo trará seu cuidado;

ao dia basta a sua própria aflição. (Mateus 6 :  19-21, 25-34).

 

 

7 – Se tomássemos estas palavras ao pé da letra, elas seriam a negação de toda a previdência e de todo o trabalho, e consequentemente, de todo o progresso.

 

Segundo esse princípio, o homem se reduziria a um expectador passivo.

Suas forças físicas e intelectuais não seriam postas em atividade.

 

Se essa tivesse sido a sua condição normal na Terra, ele jamais sairia do estado primitivo, e se adotasse agora esse princípio, não teria mais nada a fazer.

 

É evidente que não poderia ter sido esse o pensamento de Jesus, porque estaria em contradição com o que ele já dissera em outras ocasiões, como no tocante às leis da Natureza.

 

Deus criou o homem sem roupas e sem casa,

mas deu-lhe a inteligência para produzi-las.

(Ver cap. XIV, nº 6 e cap. XXV, nº 2).

 

Não se pode ver nestas palavras, portanto, mais do que uma alegoria poética da Providência, que jamais abandona os que nela confiam,

 

mas com a condição de que também se esforcem.

 

É assim que, se nem sempre os socorre com ajuda material,

inspira-lhes os meios de saírem por si mesmos de suas dificuldades.

(Ver cap. XXVII, nº 8)

 

Lucas 16 : 16 – A Lei e os Profetas vigoraram até João;

desde esse tempo, vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus,

 

e todo homem se esforça por entrar nele.

 

 

Deus conhece as nossas necessidades, e a elas provê, conforme for necessário.

 

Mas o homem, insaciável nos seus desejos, nem sempre contenta-se com o que tem.

O necessário não lhe basta, ele quer também o supérfluo.

 

É então que a Providência o entrega a si mesmo.

 

Frequentemente ele se torna infeliz por sua própria culpa,

e por não haver atendido as advertências da voz da consciência,

 

e Deus o deixa sofrer as consequências, para que isso lhe sirva de lição no futuro. (Ver cap. V, nº 4).

 

 

8 – A Terra produz o suficiente para alimentar a todos os seus habitantes,

quando os homens souberem administrar a sua produção,

segundo as leis de justiça, caridade e amor ao próximo.

 

Quando a fraternidade reinar entre os povos, como entre as províncias de um mesmo império,

o que sobrar para um determinado momento,

suprirá a insuficiência momentânea de outro,

e todos terão o necessário.

 

 

II Pedro 1 : 5 – 8

por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência,

associai com a vossa fé a virtude;

com a virtude, o conhecimento;

 

com o conhecimento, o domínio próprio;

com o domínio próprio, a perseverança;

com a perseverança, a piedade;

 

com a piedade, a fraternidade;

com a fraternidade, o amor.

 

Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando,

fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos

no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo.

 

 

O rico, então, considerará a si mesmo como um homem que possui grandes depósitos de sementes:

se as distribuir, elas produzirão ao cêntuplo, para ele e para os outros;

 

mas, se as comer sozinho, se as desperdiçar e deixar que se perca o excedente do que comeu, elas nada produzirão, e todos ficarão em necessidade.

 

Se as fechar no seu celeiro, os insetos as devorarão.

 

Eis por que Jesus ensinou:

Não amontoeis tesouros na Terra, pois são perecíveis,

mas amontoai-os no céu, onde são eternos.

 

Em outras palavras:

não deis mais importância aos bens materiais do que aos espirituais,

e aprendei a sacrificar os primeiros em favor dos segundos.

(Ver cap. XVI, nº 7 e segs.).

 

 

Não é através de leis que se decretam a caridade e a fraternidade.

 

Se elas não estiverem no coração, o egoísmo as asfixiará sempre.

 

Fazê-las ali penetrar, é a tarefa do Espiritismo.

 

 

Livro : Filosofia Espírita  XIV –  Capítulo 14Espírito MiramezPsicografado por João Nunes Maiaitem 677.

 

677/LE

 

TUDO NA NATUREZA

 

 

Tudo na Natureza trabalha, cada um na sua espécie, onde Deus lhe determinou operar.

 

Embora pareça automático o movimento de vida da Natureza,

há inúmeros agentes de Deus impulsionando com inteligência o mourejar (lidar constantemente) de todos os reinos.

 

Hebreus 1 : 14 – Não são todos eles ESPÍRITOS ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

 

Árvores e animais trabalham, em sentido mais profundo, não somente para se manterem vivos;

todas as divisões da Natureza laboram crescendo.

 

Em tudo que existe, Deus depositou algo mais importante para ser despertado.

Se não notamos progresso nos animais e nas plantas, como no ser humano,

é porque ele não é visível tanto quanto nesse último,

no entanto, há uma maturação, pode-se dizer, uma fermentação da inteligência, que no amanhã pode despertar convenientemente.

 

O transformismo está na lei divina:

a luz que sai do Grande Foco se transmuta em variadas formas, cresce no seu despertar e se divide ao infinito;

o animal trabalha no seu modo de ser, e o crescimento de cada espécie vai mudando o modo pelo qual ele deve trabalhar.

 

No princípio, ele opera para garantir sua vida física, para depois a tarefa ir se aperfeiçoando, de modo que todo o trabalho se funde e espiritualiza pelos pensamentos, que engloba todos os recursos usados até então.

 

Trabalhamos pensando,

trabalhamos olhando,

trabalhamos falando

e trabalhamos fazendo.

As modalidades são inúmeras.

Cada vez mais podemos glorificar a Deus pelo labor (trabalho) mais perfeito.

 

Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico :

homem, estão perdoados os teus pecados.

(Lucas 5 : 20)

 

 

Lucas 5 : 18 – 25

18 Vieram, então, uns homens trazendo em um leito um paralítico;

e procuravam introduzi-lo e pô-lo diante de Jesus.

 

19  E, não achando por onde introduzi-lo por causa da multidão, subindo ao eirado (espécie de telhado), o desceram no leito, por entre os ladrilhos, para o meio, diante de Jesus.

 

20  Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico:

Homem, estão perdoados os teus pecados.

 

21 E os escribas e fariseus arrazoavam, dizendo:

Quem é este que diz blasfêmias?

Quem pode perdoar pecados, senão Deus?

 

22  Jesus, porém, conhecendo-lhes os pensamentos, disse-lhes: Que arrazoais em vosso coração?

 

23  Qual é mais fácil, dizer: Estão perdoados os teus pecados ou: Levanta-te e anda?

 

24  Mas, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados, disse ao paralítico:

Eu te ordeno: Levanta-te, toma o teu leito e vai para casa.

 

25  Imediatamente, se levantou diante deles e, tomando o leito em que permanecera deitado, voltou para casa, glorificando a Deus.

 

 

A fé se acumula na consciência pelo trabalho no bem,

logo é fruto do trabalho na lavoura da mente.

 

Desta forma, ela limpa as faltas cometidas

e é fonte do trabalho para a cura de todas as enfermidades das criaturas.

 

Tudo na Natureza acumula vida e experiências,

de modo a enriquecer o campo de vida da alma.

 

Não percamos tempo;

aproveitemos todos os ensejos que vierem a aparecer em nossos caminhos,

pois essas oportunidades passam e se não as aproveitarmos, ficamos às margens do caminho esperando que venham outras.

 

Valorizemos o trabalho, seja qual for;

façamo-lo com amor, para que a alegria cresça em nossos corações.

 

Efésios 6 : 6 – 7

6 não servindo à vista, como para agradar a homens,

mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus;

 

servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens,

 

 

Colossenses 3 : 17 –  E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação,

fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.

 

Colossenses  3: 23 – 24

23 Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração,

como para o Senhor e não para homens,

 

24  cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança.

A Cristo, o Senhor, é que estais servindo;

 

 

Esforcemo-nos no esquecimento de todas as ofensas

e amemos a Deus em tudo o que sentirmos.

 

Passemos a amar, igualmente, ao próximo,

com todo o empenho,

que esses gestos far-nos-ão conhecer a verdade que nos tornará mais livres.

 

João 8 : 31 – 32

31 Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele:

Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos;

 

32 e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

 

 

Em muitos casos, um sorriso é um bom trabalho;

ele pode levar às criaturas mais vida e mais esperança,

dependendo dos sentimentos que conduzem essa expressão de amor.

 

Mesmo cuidando de nós mesmos, não nos esqueçamos da perfeição espiritual.

 

II Coríntios 13 : 11 –  Quanto ao mais, irmãos, adeus!

Aperfeiçoai-vos,

consolai-vos,

sede do mesmo parecer,

vivei em paz;

 

e o Deus de amor e de paz estará convosco.

 

Que o ato de lavar o corpo, de vestir a roupa, de comer, de respirar,

sejam todos feitos com harmonia (paz entre as pessoas ; concórdia),

porque harmonia é trabalho para a nossa paz.

 

I Pedro 3 : 10 – 11

10  Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes

refreie a língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente (má-fé);

 

11  aparte-se do mal,

pratique o que é bom,

busque a paz

e empenhe-se por alcançá-la.

 

LEIS MORAIS – LEI DO TRABALHO – 676 – NECESSIDADE DO TRABALHO. Por que o trabalho é imposto ao homem?

14 jul

LEIS MORAISLEI DO TRABALHO676NECESSIDADE DO TRABALHO.

Por que o trabalho é imposto ao homem?

 

Livro : O Livro dos EspíritosParte TerceiraLeis Morais Capítulo IIILei do TrabalhoNecessidade do Trabalhoitem 676.

 

676. Por que o trabalho é imposto ao homem?

É uma consequência da sua natureza corpórea.

 

Provérbios 16 : 26 – A fome do trabalhador o faz trabalhar, porque a sua boca a isso o incita.

 

É uma expiação e ao mesmo tempo um meio de aperfeiçoar a sua inteligência.

Sem o trabalho o homem permaneceria na infância intelectual;

eis porque ele deve a sua alimentação, a sua segurança e o seu bem-estar ao seu trabalho e à sua atividade.

Ao que é extremamente fraco de corpo, Deus concebeu a inteligência para o compensar;

mas há sempre trabalho.

 

Provérbios 2 : 6 – 7

Porque o SENHOR dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento.

Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos;

é escudo para os que caminham na sinceridade,

 

 

Livro : O Evangelho segundo o EspiritismoCapítulo XXVBUSCAI E ACHAREISAJUDA-TE, E O CÉU TE AJUDARÁ itens 1 – 4.

 

AJUDA-TE, E O CÉU TE AJUDARÁ

 

1 – Pedi, e dar-se-vos-á,

buscai, e achareis;

batei, e abrir-se-vos-á.

 

Porque todo o que pede, recebe;

e o que busca, acha;

e a quem bate, abrir-se-á.

 

Ou qual de vós, porventura, é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra?

Ou, porventura, se lhe pedir um peixe, lhe dará uma serpente?

 

Pois se vós outros, sendo maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos,

quanto mais vosso Pai, que está nos Céus, dará boas dádivas aos que lhas pedirem. (Mateus, VII: 7-11).

 

 

2 – Segundo o modo de ver terreno, a máxima:

Buscai e achareis,

é semelhante a esta outra:

Ajuda-te e o céu te ajudará.

 

É o princípio da lei do trabalho, e por conseguinte, da lei do progresso.

Porque o progresso é o produto do trabalho,

desde que é este que põe em ação as forças da inteligência.

 

I Tessalonicenses 4 : 9 – 12

No tocante ao amor fraternal, não há necessidade de que eu vos escreva,

porquanto vós mesmos estais por Deus instruídos que deveis amar-vos uns aos outros;

 

10 e, na verdade, estais praticando isso mesmo para com todos os irmãos em toda a Macedônia.

 

Contudo, vos exortamos, irmãos, a progredirdes cada vez mais

11 e a diligenciardes por viver tranquilamente,

cuidar do que é vosso

e trabalhar com as próprias mãos, como vos ordenamos;

 

12 de modo que vos porteis com dignidade para com os de fora e de nada venhais a precisar.

 

 

Na infância da Humanidade, o homem só aplica a sua inteligência na procura de alimentos, dos meios de se preservar das intempéries e de se defender dos inimigos.

 

Mas Deus lhe deu, a mais do que ao animal, o desejo constante de melhorar, ou seja, essa aspiração do melhor, que o impele à pesquisa dos meios de melhorar a sua situação, levando-o às descobertas, às invenções, ao aperfeiçoamento da ciência, pois é a ciência que lhe proporciona o que lhe falta.

 

Graças às suas pesquisas, sua inteligência se desenvolve, sua moral se depura.

Às necessidades do corpo sucedem as necessidades do espírito:

após o alimento material, ele necessita do alimento espiritual.

É assim que o homem passa da selvageria à civilização.

 

 

I Coríntios 3 : 1 – 2

Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo.

 

Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido;

porque ainda não podíeis suportá-lo.

Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais.

 

 

Mas o progresso que cada homem realiza individualmente, durante a vida terrena, é coisa insignificante, e num grande número deles, até mesmo imperceptível.

Como, então, a Humanidade poderia progredir, sem a preexistência e a reexistência da alma?

 

Jeremias 1 : 5 – ANTES que eu te formasse no ventre materno , eu te conheci e ANTES que saísses da madre , te consagrei profeta às nações..

Jeremias 1 : 5 – Antes de Jeremias nascer , ele, como espírito, já tinha sido consagrado e constituído profeta por Deus.

 

 

Gálatas 1 : 15 – Quando, porém ao que me separou ANTES de eu nascer e me chamou pela sua graça, aprouve

16  revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios, sem detença, não consultei carne e sangue,

 

Em Gálatas 1 :15 , Paulo diz que Deus o separou antes de nascer. Isto quer dizer que ele era espírito e Deus o preparou para a sua missão na Terra , de evangelização.

 

 

Filipenses 1 : 21 – 24

21  Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro.

22  Entretanto, se o viver na carne traz fruto para o meu trabalho, já não sei o que hei de escolher.

23  Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor.

24  Mas, por vossa causa, é mais necessário permanecer na carne.

 

 

Se as almas deixassem a Terra todos os dias, para não mais voltar,

a Humanidade se renovaria sem cessar com as entidades primitivas,

que teriam tudo a fazer e tudo a aprender.

 

Não haveria razão, portanto, para que o homem de hoje fosse mais adiantado que o dos primeiros tempos do mundo,

pois que, para cada nascimento, o trabalho intelectual teria de recomeçar.

 

A alma voltando, ao contrário, com o seu progresso já realizado,

e adquirindo de cada vez alguma experiência a mais,

vai assim passando gradualmente da barbárie à civilização material,

e desta à civilização moral. (Ver cap. IV, nº 17).

 

 

João 3 : 1 – 12

Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.

Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus;

porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele.

 

A isto, respondeu Jesus:

Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo,

não pode ver o reino de Deus.

 

4 Perguntou-lhe Nicodemos:

Como pode um homem nascer, sendo velho?

Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez?

 

Respondeu Jesus:

Em verdade, em verdade te digo:

quem não nascer da água e do Espírito

não pode entrar no reino de Deus.

 

O que é nascido da carne é carne;

e o que é nascido do Espírito é espírito.

 

Não te admires de eu te dizer:

importa-vos nascer de novo.

 

O vento (espírito) sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai;

assim é todo o que é nascido do Espírito.

 

Então, lhe perguntou Nicodemos:

Como pode suceder isto?

 

Acudiu Jesus:

10 Tu és mestre em Israel e não compreendes estas coisas?

 

11 Em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos e testificamos o que temos visto;

contudo, não aceitais o nosso testemunho.

 

12 Se, tratando de coisas terrenas, não me credes,

como crereis, se vos falar das celestiais?

 

 

3 – Se Deus tivesse liberado o homem do trabalho físico, seus membros seriam atrofiados;

se o livrasse do trabalho intelectual, seu espírito permaneceria na infância, nas condições instintivas do animal.

 

Eis porque ele fez do trabalho uma necessidade, e lhe disse:

Busca e acharás;

trabalha e produzirás;

e dessa maneira serás filho das tuas obras,

terás o mérito da sua realização,

e serás recompensado segundo o que tiveres feito.

 

 

Mateus 16 : 27 Porque o Filho do Homem há de vir na glória de seu Pai, com os seus anjos,

e, então, retribuirá a cada um conforme as suas obras.

 

Romanos 2: 6 – que retribuirá a cada um segundo o seu procedimento:

 

Romanos 14: 12 – Assim, pois, cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus.

 

 

4 – É em virtude da aplicação desse princípio que os Espíritos não vêm poupar ao homem o seu trabalho de pesquisar,

trazendo-lhe descobertas e invenções já feitas e prontas para a utilização,

de maneira a só ter que tomá-las nas mãos, sem sequer o incômodo de um pequeno esforço, nem mesmo de pensar.

 

Se assim fosse, o mais preguiçoso poderia enriquecer-se, e o mais ignorante tornar-se sábio, ambos sem nenhum esforço,

e atribuindo-se o mérito do que não haviam feito.

 

Não, os Espíritos não vêm livrar o homem da lei do trabalho,

mas mostrar-lhe o alvo que deve atingir e a rota que  leva a ele,

dizendo: Marcha e o atingirás!

Encontrarás pedras nos teus passos;

mantém-te vigilante, e afasta-as por ti mesmo!

Nós te daremos a força necessária, se quiseres empregá-la.

(Ver Livro dos Médiuns, cap. XXVI, nº 291 e segs.).

 

 

Hebreus 1 : 14 – Não são todos eles ESPÍRITOS ministradores, enviados para serviço a favor dos que hão de herdar a salvação?

 

Hebreus 2 : 1 – 3

Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos.

2 Se, pois, se tornou firme a palavra falada por meio de anjos, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo,

como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação?

A qual, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram;

 

 

Livro : O Livro dos MédiunsParte Segunda –Das Manifestações EspíritasCapítulo XXVIDas perguntas que se podem fazer aos Espíritos291.

 

291. PERGUNTAS SOBRE QUESTÕES MORAIS E MATERIAIS

 

 

17. Podemos pedir conselhos aos Espíritos?

Sim, não há dúvida.

Os Espíritos bons jamais se recusam a ajudar os que os invocam cheios de confiança,

principalmente quando se trata de assuntos da alma.

 

Mas repelem os hipócritas,

aqueles que fingem buscar a luz

e se comprazem nas trevas.

 

 

18. Os Espíritos podem aconselhar sobre questões de interesse particular?

Algumas vezes, conforme o caso.

Depende também dos Espíritos interpelados.

Os conselhos referentes à vida particular são dados com mais exatidão pelos Espíritos familiares, os que mais se ligam às pessoas e se interessam pelo que lhes concerne.

O Espírito familiar é o amigo, o confidente de vossos mais secretos pensamentos.

 

Mas frequentemente o cansais com perguntas tão estúpidas que ele se afasta.

Por outro lado seria absurdo interpelar sobre problemas íntimos a Espíritos estranhos, da mesma maneira que propô-los ao primeiro indivíduo que encontrásseis pela frente.

 

É bom não esquecer que a banalidade das perguntas é incompatível com a superioridade dos Espíritos.

Necessário também considerar as qualidades do Espírito familiar, que pode ser bom ou mau, segundo os motivos de simpatia que o ligam à pessoa.

O Espírito familiar de um homem mau é um mau Espírito, cujos conselhos podem ser perniciosos ( nocivos, perigosos).

Mas ele se afasta e cede o lugar a um Espírito melhor se o homem melhora.

O semelhante atrai o semelhante.

 

19. Os Espíritos familiares podem ajudar nos interesses materiais por meio de revelações?

Podem. E o fazem algumas vezes, segundo as circunstâncias, mas os Espíritos bons jamais se prestam a servir a cupidez.

 

Os maus fazem brilhar mil miragens aos vossos olhos para vos excitar e mistificar, levando-vos à decepção.

 

Sabei também que se a vossa prova é sofrer esta ou aquela vicissitude,

os Espíritos protetores podem vos ajudar a suportá-la com resignação,

às vezes amenizá-la, mas no interesse do vosso próprio futuro não podem afastá-la.

É assim que um bom pai não concede ao filho tudo o que este deseja.

 

 

Observação de Kardec:

 

Nossos Espíritos Protetores podem, em muitas circunstâncias, indicar-nos o melhor caminho, sem entretanto nos levarem a ele.

Do contrário perderíamos toda iniciativa e nada mais faríamos sem recorrer a eles, isso em prejuízo do nosso aperfeiçoamento.

Para progredir o homem tem sempre necessidade de adquirir experiências à sua própria custa.

É por isso que os Espíritos sábios, sempre prontos a nos aconselhar, entregam-nos às nossas próprias forças, como um instrutor hábil faz com seus alunos.

Nas circunstâncias ordinárias da vida nos aconselham pela inspiração e nos deixa assim todo mérito do bem, como toda a responsabilidade pelas más escolhas.

 

Seria abusar da condescendência dos Espíritos familiares e não compreender a sua missão, interrogá-los a todo instante sobre as questões mais corriqueiras, como o fazem certos médiuns.

 

Há os que por um sim ou um não tomam o lápis e pedem conselhos para as mais simples decisões.

Essa mania revela estreiteza de ideia e ao mesmo tempo a presunção de ter sempre um Espírito serviçal às ordens, sem nada mais a fazer do que se ocupar de nós e de nossos pequeninos interesses.

 

Além disso, equivale a aniquilar seu próprio julgamento e reduzir-se a um papel passivo, sem nenhum proveito no presente e com prejuízo certo para o progresso futuro.

Se há infantilidade em interrogar os Espíritos sobre questões fúteis, também é infantil, de parte dos Espíritos, ocuparem-se espontaneamente do que podemos chamar de rotina caseira.

Esses Espíritos podem ser bons, mas seguramente estão ainda muito terrenos.

 

 

Livro : Filosofia Espírita  XIV –  Capítulo 13Espírito Miramez Psicografado por João Nunes Maiaitem 676.

 

676/LE

 

POR QUE O TRABALHO ?

 

O trabalho é consequência da vida material animal.

Com a elevação da alma, ele vai se modificando, dada à pureza do Espírito.

No mundo espiritual elevado, o progresso atinge a modalidade do trabalho, de modo a oferecer ao trabalhador os meios conforme sua elevação espiritual.

 

Toda a atividade nobre é ação de louvor, é gratidão a Deus pelo ensejo de laborar em favor da evolução de todas as coisas.

 

A Natureza é pulsante em toda a parte;

as águas se movimentam em todos os rumos, o ar sopra em todas as direções, os raios solares se estendem por todas as gamas de vida.

 

A natureza íntima das árvores é inquieta, para mantê-las na forma que Deus lhes deu;

os átomos, com seus elétrons, prótons e nêutrons têm o seu cinetismo (movimento) próprio;

os planetas e sóis, as galáxias e acúmulos viajam pelo cosmo em velocidade empiricamente inimaginável, e Deus pulsa na intimidade de toda a criação.

A vida é, pois, movimento expresso em equação matemática.

 

Hebreus 11 : 3 – Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem.

 

Salmos 24 : 1 – 2

1 Ao SENHOR pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam.

2 – Fundou-a ele sobre os mares e sobre as correntes a estabeleceu.

 

Salmos 89 : 11 – Teus são os céus, tua, a terra;

o mundo e a sua plenitude, tu os fundaste.

 

Salmos 90 : 2 – Antes que os montes nascessem e se formassem a terra e o mundo, de eternidade a eternidade, tu és Deus.

 

Provérbios 3 : 19 – 20

19  O SENHOR com sabedoria fundou a terra, com inteligência estabeleceu os céus.

20  Pelo seu conhecimento os abismos se rompem, e as nuvens destilam orvalho.

 

 

Compreendemos que o trabalho, na área do ser humano e espiritual, é necessário para que possamos manter a vida no ritmo do Criador.

 

Precisamos amar o trabalho, seja ele qual for,

e quando o fizermos, façamo-lo com perfeição,

desde a vestimenta até as orações,

desde os pensamentos até as conversações;

 

tudo é ocupação e necessário se torna que façamos tudo com inteligência,

e que sempre esteja nos inspirando o Evangelho de Jesus.

 

 

Efésios 6 : 6 – 7

não servindo à vista, como para agradar a homens,

mas como servos de Cristo, fazendo, de coração, a vontade de Deus;

 

servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens,

 

 

Colossenses 3 : 17 – E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação,

fazei-o em nome do Senhor Jesus,

dando por ele graças a Deus Pai.

 

 

Raciocinemos sobre o que registrou Lucas, no capítulo doze, versículo seis:

Não se vendem cinco pardais por dois ceitis  (quantia ínfima) ? Entretanto, nenhum deles está em esquecimento diante de Deus.

 

As mínimas coisas são olhadas pelo Doador Divino;

nada fica no esquecimento.

Qualquer tarefa feita com honestidade é trabalho que a consciência aprova.

 

A inteligência se desenvolve no exercício permanente de lidas constantes.

No mundo espiritual se trabalha ainda mais do que nas hostes (multidão) da Terra.

 

Se Deus parar por um segundo na marca do relógio do mundo, se desfará todo o Universo, que é harmonia divina.

 

João 5 : 17 – Mas ele lhes disse:

Meu Pai trabalha até agora,

e eu trabalho também.

 

 

Se não fosse o trabalho, o homem permaneceria na infância.

Ele cresce ante o trabalho, que desperta o esforço de cada criatura.

Os nossos dons crescem no esmero de cada dia.

 

Àquele que não pode se empenhar no trabalho físico, por doença ou fraqueza do seu arcabouço (esqueleto) físico,

Deus outorgou (deu) a inteligência para operar com ela, nos pensamentos e na fala, e por vezes na escrita, nos exemplos de tolerância, de amor e caridade.

Se quiseres felicidade, pede-a a Deus pelo nome de trabalho,

que ele é a porta para o verdadeiro paraíso de amor.

 

 

Mateus 7 : 7 – 8

Pedi, e dar-se-vos-á;

buscai e achareis;

batei, e abrir-se-vos-á.

 

Pois todo o que pede recebe;

o que busca encontra;

e, a quem bate, abrir-se-lhe-á.

 

 

Desconhecemos no mundo, ou em toda a criação de Deus, algum lugar ou alguma coisa em que não haja movimento.

O que pára, morre, e se não há morte nada pára;

tudo se movimenta, dentro do hálito divino.

 

Vivemos porque trabalhamos, trabalhamos porque vivemos em Deus e Ele em nós.

 

Atos 17 : 28 –  pois nele vivemos, e nos movemos, e existimos,

 

como alguns dos vossos poetas têm dito:

Porque dele também somos geração.